MANIFESTO DA ABES-MG SOBRE DESASTRE

A ABES-MG lançou uma Carta Manifesto com o posicionamento da entidade sobre a ruptura da barragem de rejeitos de minério, da Vale Mineração S/A, ocorrido em 25 de janeiro, na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Diretoria da ABES-MG

O presidente da ABES-MG, Rogério Siqueira, explica que a decisão de apresentar um posicionamento técnico foi discutida e aprovada pela diretoria da entidade durante reunião extraordinária, realizada  em 30 de janeiro.

Na carta, a entidade manifesta sua consternação pela dor das perdas pessoais e materiais, se solidariza com as vítimas, familiares e a população, e sugere algumas ações:

  • priorizar a engenharia e a técnica em detrimento dos interesses econômico-financeiros;
  • valorizar os técnicos da engenharia que atuam no setor público;
  • garantir que os recursos para as ações emergenciais, de reparação ambiental e indenizações, sejam estimadas previamente no planejamento dos empreendimentos;
  • proibir a tecnologia de alteamento a montante para armazenamento de rejeitos de minérios e desativar as estruturas existentes;
  • mapear e monitorar os aterros sanitários evitando que causem danos semelhantes aos de uma barragem de rejeito de minérios; 
  • adotar no país uma política ambiental institucionalmente forte e legalmente estruturada, que possibilite a preservação e a manutenção de um ambiente seguro e saudável;

e que a sociedade civil organizada, protagonize o processo de recuperação, exigindo que os recursos sejam disponibilizados imediatamente, através das entidades que compõem o sistema de gestão de recursos hídricos e da defesa social.

Confira na íntegra da Carta Manifesto da ABES-MG endereçada à Vale Mineração S/A, aos órgãos públicos de Brumadinho, de Minas Gerais e a toda a sociedade brasileira.

A VIDA É O MAIOR VALOR DO SER HUMANO, NÃO SE PODE PRECIFICAR ESTE BEM!

Notícias