QUEIMADA ESCURECE O CÉU DO SUDESTE

Uma série de queimadas, iniciadas no sábado, nas Regiões Centro-Oeste e Norte do país, espalhou uma nuvem negra de fumaça sobre as Regiões Sudeste e Sul. Na segunda-feira (19/8), São Paulo foi encoberta por uma chuva negra, mistura de frente fria com ventos provenientes de queimadas nessas regiões. Esse material particulado em suspensão cobriu o céu de São Paulo e fez o dia virar noite às três da tarde. Na terça-feira 20/8, o céu de Belo Horizonte ficou completamente cinza.

Fumaça de queimadas cobre o céu de Belo Horizonte  nesta terça-feira 20 de agosto 2019 Foto Amanda Dias /BHAZ

Segundo a Revista Piauí, com informaçoes do MetSul - Empresa de Meteorologia do Sul do Brasil, a fumaça que chegou também ao Paraná é proveniente de três focos principais: queimadas na região Amazônica, principalmente em Rondônia e no Mato Grosso; e dois grandes incêndios florestais, um registrado no Pantanal do Alto Paraguai, outro na Bolívia – ambos, quase na fronteira com o Brasil.

As imagens do avanço da pluma de fumaça, que se deslocou em direção à região Sul e ao estado de São Paulo, foi captado por dois satélites – o NOAA-20, da Nasa, e o Sistema Copernicus, da Estação Espacial Europeia. Segundo o MetSul, o deslocamento foi favorecido por condições meteorológicas, como um forte vento norte. Segundo o metereologista do INMET, Franco Villela, um grande incêndio florestal originado no sábado (17) no Pantanal, em território do Paraguai, atingiu cerca de 21 mil hectares de mata.

Céu de São Paulo fica negro ao ser encoberto por foligem de queimadas na Amazônia

O MetSul informou que a maior proporção da névoa que atingiu o Norte do Paraná e São Paulo provém da Bolívia e do Paraguai. E que, há dez dias, tem registrado a ocorrência de focos concentrados de incêndio na Amazônia, com o ponto mais crítico de queimadas no norte do estado de Rondônia.

No Paraguai, o incêndio consumiu 21 mil hectares da reserva natural Três Gigantes, na região do Alto Paraguai. A chuva de fuligem na região levou dezenas de pessoas a procurar atendimento médico. Enquanto na Bolívia, o fogo se concentra na região de Roboré, e os focos ainda não foram controlados.

 

 

Notícias