Maia cobra definição e unidade do governo para votar Código Florestal

O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, disse nesta quinta-feira que o governo precisa ter uma posição única em torno do Código Florestal (PL 1876/99) para facilitar o processo de votação na Casa: "Se o governo conseguir produzir uma unidade, para permitir que ministérios como o da Agricultura, do Meio Ambiente, do Desenvolvimento Agrário e das Cidades tenham uma opinião comum, isso ajudará também no debate dentro da Câmara".

Maia enfatizou que é preciso consenso entre os ministros. "Se em um assunto como a revisão do Tratado de Itaipu com o Paraguai, em que havia unidade na base, tivemos que ficar até tarde discutindo, imagine no caso do Código Florestal", disse.

O presidente da Câmara garantiu que o projeto do código somente será encaminhado para votação quando houver acordo sobre a proposta. Maia afirmou que o relatório dos trabalhos da câmara de negociação do código, previsto para ser entregue na próxima semana, e uma possível proposta enviada pelo governo serão analisadas e levadas para debate com os partidos: "Assim que o relatório chegar, vamos apresentá-lo aos líderes e, a partir disso, vamos definir a data de votação do Código Florestal."

Marco Maia recebeu, nesta quinta-feira, representantes de ONGs contrários às mudanças no código e, em seguida, representantes de pequenos agricultores que concordam com algumas alterações. Eles trouxeram suas propostas junto com 116 mil assinaturas de apoio.

Centenas de manifestantes de movimentos sociais se reuniram em frente ao Congresso Nacional para protestar contra o PL 1876/99, relatado pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), que altera o código.

8-4-2011