Ação conjunta Semad e Ibama fiscaliza fabricação de móveis

Dois dias após o início da operação de fiscalização ambiental Guardiões das Montanhas II, 11 empresas foram visitadas pela equipe de fiscais que investiga o uso irregular de madeira de origem nativa no Polo Moveleiro de Ubá, na Zona da Mata Mineira.

Todos os empreendimentos fiscalizados possuem pendências na documentação junto aos governos federal e estadual. Sob pena de serem multados por crime ambiental, elas terão 48 horas para apresentar documentação que comprove a legalidade de suas ações.

A ação é um trabalho conjunto da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). "Nesse momento, o principal problema observado é a diferença entre a quantidade de madeira encontrada no interior das empresas e a que foi comunicada aos órgãos ambientas no momento da emissão das autorizações para compra, consumo e venda", afirma o coordenador da operação pela Semad, Alessandro Albino. "Após a análise detalhada da documentação trazida pelos proprietários das empresas, será possível detectar se existem irregularidades", completa.

A operação Guardiões das Montanhas II utiliza informações dos sistemas eletrônicos de controle federal e estadual que asseguram a legalidade da compra e da venda, além da aquisição da madeira e de seus produtos. No caso de consumo de madeira proveniente da Amazônia, as empresas têm de comprovar as informações prestadas ao Ibama e que constam no mecanismo que gera o Documento de Origem Florestal (DOF). Já em Minas Gerais, o documento equivalente é a Guia de Controle Ambiental (GCA) emitida pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF). O registro é feito no Sistema Integrado de Informação Ambiental (Siam).

Nas empresas, os fiscais do Ibama observam os estoques e os tipos de madeira provenientes da Amazônia, que é a principal matéria-prima das empresas que fabricam móveis. Já os fiscais da subsecretaria de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada da Semad, avaliam o consumo de madeira de origem nativa de Minas Gerais, bem como de espécies plantadas, como o eucalipto. "A fiscalização é quantitativa e qualitativa e, por isso, agentes dos estados do norte do país, que são especialistas na identificação de madeira, integram a equipe", salienta o coordenador da operação pelo Ibama, Aristides Salgado Neto.

A operação Guardiões das Montanhas II é realizada em nove municípios da região de Ubá, um dos principais polos moveleiros do país. O trabalho tem a participação de dez fiscais da Semad e de 35 do Ibama, dos Estados de Minas Gerais, Pará e Tocantins.

31-3-2011

 

Notícias