Governador recebe comitês de bacia mineiros

 

 

O Governador Fernando Pimentel recebeu na Cidade Administrativa, no dia 5 de março, representantes de 33 dos 36 comitês de bacias hidrográficas de Minas Gerais. O encontro dá início a construção de uma frente que busca soluções para avançar na gestão das águas.

O Governador reiterou seu compromisso de campanha de trabalhar uma agenda estruturante para o meio ambiente. Já o secretário de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, que coordena a força-tarefa instituída para lidar com a falta de água no estado, disse que a reunião ajuda a entender melhor as reivindicações e dificuldades das lideranças ambientais. " Estamos ouvindo primeiro para podermos traçar, de forma estruturante, as ações de preservação de curto, médio e longo prazo dos nossos mananciais, de modo que possamos tratar, de forma eficiente, a crise hídrica", afirmou.

Tanto Helvécio quanto Pimentel se comprometeram com os presidentes dos comitês a estabelecer reuniões periódicas, com calendário a ser elaborado em breve. “A força-tarefa sobre a crise hídrica que o governador instituiu vai se reunir com os comitês de forma regular, com apoio da Secretaria de Meio Ambiente. Temos oito pontos prioritários, apontados pelos presidentes dos comitês, para trabalhar em conjunto por um pacto pelas águas. Portanto, será uma agenda estruturante, que atuará não apenas o aspecto emergencial, como o que estamos vivenciando agora, como no direito perene do ser humano ao consumo de água”, reforçou Helvécio.

Para o presidente do Fórum Mineiro dos Comitês das Bacias Hidrográficas, Hideraldo Buch, a iniciativa do governo atual em abrir uma interlocução com os comitês acontece em um momento crucial para o meio ambiente, em geral, e para a gestão hídrica, em particular. “A crise da água veio para ficar. Por isso, é fundamental que o governo fortaleça o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), que conta com poucos técnicos, e volte a repassar de forma constante o Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (Fhidro), que foi utilizado para outras finalidades pelo governo anterior”, destacou.

O encontro com os comitês de bacias hidrográficas de Minas também contou com as presenças do secretário de Transportes e Obras Públicas, Murilo Valadares; da presidente da Copasa, Sinara Meireles; do presidente da Cemig, Mauro Borges; a secretária adjunta de Meio Ambiente, Marília Melo e do fiscal para a água da Organização das Nações Unidas (ONU), Leo Heller, que reconheceu os esforços do Governo de Minas Gerais para superar a crise hídrica no Estado, sempre atuando com transparência.

Antes do encontro com o Governador os representantes dos comitês se reuniram para construir um documento, que contou com  contribuições de Teca, Thomas Matta Machado, Mauro da Costa Val, Shimizu e José Carlos de Carvalho, chamado PACTO PELAS ÁGUAS DO GOVERNDO DE MINAS GERAIS com o FMCBH. O documento traz diretrizes para minimizar a crise hídrica no estado. Após a assinatura de todos os comitês presentes, o documento foi entregue ao governador Pimentel e que assumiu este pacto como o início da construção de ações. Pimentel disse que discutiria item a item para avaliação e irá viabilizar o atendimento, efetivando as reivindicações dos comitês, assumindo assim o compromisso em assinar o Pacto pelas Águas de MG com o Fórum Mineiro de Comitês e tornar público em cerimônia na Semana das Águas.

 

 

 

 

Notícias