Direc destaca projetos hidroambientais em reunião

Os membros da Diretoria Colegiada (Direc), se reuniram em Aracaju (SE), ao longo do dia 14 de março, para discutir diversos assuntos sobre o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, com ênfase nos projetos hidroambientais em andamento na bacia com recursos gerados pela cobrança sobre o uso da água.

A maior preocupação manifestada pelo presidente do colegiado, Anivaldo Miranda, é com a sustentabilidade dessas ações. Ele sugeriu que fossem oferecidas oficinas para os integrantes da Direc, criando cenários para troca de experiências.

"É determinante estabelecer parcerias especialmente com as comunidades envolvidas em cada projeto. Isso é que vai garantir a sustentabilidade e o futuro desses projetos, dando margem ao aparecimento de propostas mais arrojadas", destacou, lembrando que atualmente o Comitê tem trabalhado com a demanda natural oriunda de suas regionais.

Contrapartidas

O coordenador Cláudio Pereira, da CCR do Médio, externou sua preocupação com a capacidade de as Prefeituras Municipais assumirem contrapartidas com os projetos hidroambientais propostos pelo Comitê em suas frentes regionais.

Por sua vez, o coordenador Totonho Valadares, da CCR do Sub Médio, sinalizou ser do interesse direto das Prefeituras assumirem esta parceria com o Comitê, especialmente na área do saneamento básico. "O que é necessário é formalizar estes processos, ou seja, a AGB Peixe Vivo precisa estabelecer contratos de parcerias com cada município", disse.

Antes do encerramento da reunião, o secretário do CBHSF, Jose Maciel Oliveira, comunicou aos presentes o parecer técnico da Câmara Técnica Institucional e Legal (CTIL) a respeito da suposta vacância na coordenação da CCR do Sub Médio. "A CTIL entende como legal a permanência do membro Totonho Valadares, pois não há ilegalidade e nem houve vacância de cargo", leu Maciel, que vai encaminhar o parecer para todos os membros da Direc.

Notícias