"Jogue Limpo" inaugura central de recebimento na RMBH

O programa Jogue Limpo inaugurou, no dia 17 de janeiro, sua primeira Central de Recebimento em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Nos dez primeiros dias de operação a unidade recolheu 1,3 mil quilos de material, o que equivalem a 25,4 mil embalagens usadas.

O sistema utiliza a logística reversa de embalagens plásticas de lubrificantes pós-consumo na qual fabricantes, importadores e distribuidores de lubrificantes recebem os recipiente já utilizados pelo consumidor.

A Central de Betim recebe as embalagens usadas em postos de combustíveis e outras empresas da cadeia de óleos lubrificantes. As embalagens recebem o tratamento inicial para retirada do óleo, são prensadas e encaminhadas a outras empresas responsáveis pela reciclagem.

Segundo o consultor do programa Jogue Limpo, Mauricio Séllos, até o momento, já foram cadastrados 580 pontos em 30 municípios da RMBH. O projeto prevê a instalação de outras unidades de recebimento ao longo de 2013. A previsão é de que, até 2016, o programa esteja implantado em todo o Estado.

“Nosso compromisso, estabelecido no termo de cooperação assinado com a Feam, é atender em 2013 a 26% dos municípios do Estado”, afirma. A estimativa é de que em 2013 sejam recolhidos 290 toneladas que equivalem a 5,8 milhões de embalagens usadas.

Atualmente, o programa Jogue Limpo atua em seis Estados e no Distrito Federal com 16 Centrais de Recebimento e 21,5 pontos geradores cadastrados. Em 2012, foram recolhidas em todo o Brasil, 2,8 mil toneladas de plástico equivalente a 56 milhões de embalagens plásticas. “Minas Gerais está entre os cinco maiores geradores de embalagens de lubrificantes do Brasil”, afirma Maurício Séllos.

Logística reversa

Em Minas Gerais, o programa Jogue Limpo é desenvolvido pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), de Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro) e Interestadual das Indústrias Misturadoras e Envasilhadoras de Produtos Derivados de Petróleo (Simepetro). A ação atende às metas definidas nas Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos e tem o apoio da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam).

O diretor de Gestão de Resíduos da Feam, Renato Teixeira Brandão, explica que a implantação da logística reversa pelas empresas e comerciantes é uma das medidas previstas na legislação federal e na estadual. “Foram definidos cinco grupos prioritários para implantação do sistema de recolhimento de lâmpadas, pilhas e baterias, pneus, embalagens de óleos lubrificantes e equipamentos eletroeletrônicos”, frisa.

Brandão observa que o sistema de logística reversa é essencial para eliminar o descarte irregular de resíduos específicos, como as embalagens. “Sujas de óleo e descartadas como lixo comum, as embalagens apresentam grande risco de contaminação do solo e é necessário criar sistemas adequados para seu descarte”, afirma.

 

Agência Minas

Notícias