BH lança selo de sustentabilidade para reduzir gases de efeito estufa

A prefeitura de Belo Horizonte lançou hoje, 1º de julho, um programa para promover a redução do consumo de água e energia, a redução e reciclagem de resíduos sólidos e as emissões de gases de efeito estufa. Os empreendimentos comerciais e residenciais que se adequarem as regras de racionalização do uso da água da energia e adotarem uma gestão adequada para os resíduos receberão um selo de eco eficiência (Bronze, Prata ou Ouro) de acordo com o número de objetivos implantados.

A certificação vai dar visibilidade aos empreendimentos ecologicamente corretos  e premiar os locais com um selo correspondente aos índices de eficência estabelecidos em cada item (água, energia e emissões). Medidas como a implantação de painéis solares, descargas sanitárias de baixo consumo, coleta e aproveitamento de água de chuva, valorização da iluminação natural, coleta seletiva e  uso de materiais certificados como de baixo impacto durante a obra serão valorizadas no licenciamento.

O Secretário Municipal de Meio Ambiente e Coordenador do Comitê Municipal sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiencia, Nívio Tadeu Lasmar Pereira, explica que  a adesão ao Programa  de Certificação de Sustentabilidade ambiental será feita principalmente na fase de licenciamento dos empreendimentos. "A partir de novembro, quando entrarem com o processo de licenciamento, os empreendimentos terão oportunidade de apresentar as medidas que vão adotar e elas serão valorizadas na obtenção dessa licença",afirma.

O presidente do Comitê Executivo Municipal da Copa, Tiago Nascimento Lacerda afirma que a certificação é voluntária mas os empreendimentos que buscarem pelo selo estarão listados em guia especial da copa do mundo. "Certamente o mundo voltará os olhos para Belo Horizonte e para os nossos  parceiros empreendedores sustentáveis", diz.

Nívio Lasmar lembra que as ações ambientais propostas estão alinhadas com as metas de sustentabilidade estabelecidas pela FIFA, mas que desde 2006 fazem parte de um Planejamento Estratégico de Belo Horizonte para o ano 2030. "A certificação visa atender as diretrizes assumidas pelo Brasil junto à FIFA, que recomendam a redução dos impactos socioambientais decorrentes da realização do evento, mas já tinhamos a meta de reduzir em 20% das emissões de gases de efeito estufa até 2030", disse.

O secretario Estadual Extraordinário da Copa, Sérgio Barroso disse que a Copa de 2014 é uma oportunidade para a formatação da sustentabilidade ambiental no Estado. "A capital estará em condições plenas de receber a copa do mundo. Vamos trabalhar intensamente nos próximos três anos para alavancar o desenvolvimento social e cívico. O certificado ambiental contribuirá muito para alcançarmos essa meta", disse.

Para o Coordenador Adjunto do Comitê Municipal de Mudanças Climáticas e Ecoeficiência e Membro da Câmara Temática Nacional de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Copa do Mundo FIFA 2014, Weber Coutinho,já existe um interesse muito grande por parte dos empreendedores. "A construção civil,a indústria, comércio, consultores ambientais já definiram uma agenda comum entre todos para realizar vários workshops nos próximos meses. Essa agenda permitirá a troca de experiências e visa estudar a melhor maneira de implementar e consolidar o programa de certificação", afirma.

1-7-2011

 

 

Notícias