Aproveitamento do gás metano é alternativa de renda para cidades

O evento, promovido pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), em parceria com a Environmental Protection Agency (US.EPA) e Global Methane Initiative, com apoio da Embaixada Britânica e Governos Locais pela Sustentabilidade (ICLEI), tem como objetivo principal discutir com representantes de municípios mineiros e com a sociedade em geral o potencial de utilização do biogás produzido nos aterros sanitários e nas estações de tratamento de efluentes para a geração de energia.


Durante a abertura do workshop, o presidente da Feam, José Cláudio Junqueira, destacou a importância de se discutir outras formas geração de energia no estado. "Precisamos lembrar que todo aterro sanitário irá se transformar em um passivo no futuro. Aproveitar seus gases é uma ótima ideia, mas, melhor mesmo é não gerar resíduos" ressaltou.


De acordo com o gerente do programa de Aproveitamento de Metano de Aterros Sanitários da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, Christopher Godlove, que apresentou o painel Iniciativa Global do Metano, esse é um gás de efeito estufa muito potente. "Ao aproveitarmos o metano, estamos reduzindo a emissão de gases de efeito estufa, progredindo nas metas de desenvolvimento sustentável e reduzindo o desperdício de um combustível valioso e importante fonte de energia", explicou. No entanto, segundo Godlove, muitas vezes o metano não é aproveitado por motivos que vão desde o desconhecimento até a falta de capacitação técnica para elaboração e desenvolvimento de projetos focados no uso desse gás como fonte de energia.


O secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Silvano Silvério da Costa, falou sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos e oportunidades para projetos de aproveitamento energético. Para o secretário, o Brasil enfrenta alguns desafios quando se trata de resíduos sólidos. "O primeiro desafio é acabar com os lixões e o segundo é aumentar o percentual de reciclagem", comentou.


Ainda pela manhã, a diretora de Qualidade e Gestão Ambiental da Feam, Zuleika Torquetti apresentou o Plano de Regionalização para a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Urbanos em Minas Gerais e oportunidades para o aproveitamento energético. Em seguida, foi a vez do gerente Nacional da Caixa Econômica Federal, Adailton Ferreira, falar sobre o financiamento de projetos - desafios e oportunidades. Ferreira destacou que existem recursos disponíveis para o desenvolvimento de projetos de utilização do biogás em empreendimentos de infraestrutura e saneamento.


No período da tarde, foram apresentados os estudos de avaliação da viabilidade técnica, econômica e ambiental realizados nos aterros de Santana do Paraíso e Uberaba. Foram, ainda, exibidas as ações para aproveitamento energético do biogás desenvolvidas nos aterros de Bandeirantes e São João, em São Paulo e do aterro de Belo Horizonte.


O aproveitamento do metano (principal componente do biogás) não é apenas um benefício para o meio ambiente, podendo representar também uma fonte de receita para os municípios. A geração de energia é realizada pela combustão do metano que, entre outros componentes, libera dióxido de carbono (CO2). O metano tem poder de aquecimento cerca de 21 vezes maior que o CO2, diminuindo, assim, as emissões totais em dióxido de carbono equivalente (CO2eq). Dentre as opções de utilização, os municípios ou concessionárias operadoras dos aterros podem utilizar a energia nas próprias instalações geradoras de biogás (auto-consumo), vender o excesso e/ou ainda se beneficiar com os créditos de carbono como recursos financeiros.


O workshop continua nesta quarta-feira (27) com apresentação de trabalhos de aproveitamento energético do biogás gerado em estações de tratamento de efluentes e de um projeto de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) baseado no aproveitamento do biogás gerado no tratamento de efluentes da indústria alimentícia.

27-4-2011

 

Notícias