REMOÇÃO DE CONTAMINANTES EMERGENTES

A Jovem Profissional do Saneamento da ABES-MG, Ingrid da Silva Pacheco, participou em 19 de setembro de 2019, do 30º Congresso Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan).

Durante a sessão de trabalhos técnicos, a engenheira ambiental e mestranda em qualidade ambiental, apresentou seu estudo sobre a “Aplicação de Composto Lamelar Sintético para Remoção do Contaminante Emergente Ibuprofeno em Águas: Processo de Adsorção".

Ela explica que os poluentes fármacos, Diclofenaco e Ibuprofeno, são anti-inflamatórios que, por não necessitarem de receita médica para aquisição, possuem uso bastante difundido no Brasil. De acordo com Ingrid Pacheco, esse grupo de medicamentos vem sendo bastante estudado pois está entre os mais encontrados em água de consumo humano, águas superficiais, esgotos brutos e efluentes de ETEs.

“Durante a Fenasan, tivemos outros trabalhos técnicos contemplando os micropoluentes e houve uma boa participação do público com perguntas. A presença desses fármacos na água é uma realidade no país e tem gerado preocupações relacionadas a questões de saúde pública e equilíbrio ecológico dos ecossistemas”, afirmou.

O trabalho de Ingrid Pacheco utiliza as argilas aniônicas do tipo Hidróxidos Duplos Lamelares (HDL). O material, que é de fácil obtenção e tem baixo custo, torna o composto um promissor absorvente de poluentes no meio aquoso. Os resultados obtidos indicaram que o método de absorção é promissor na remoção dos fármacos Diclofenaco e Ibuprofeno presente em águas contaminadas.

O trabalho completo pode ser acessado aqui.

Veja tambem: JPS presente na Fenasan 2019

 

Notícias