Parcela mineira da bacia do Piracicaba já recebe por uso da água

 

O dinheiro recolhido durante o primeiro ano de cobrança pelo uso da água na parcela mineira da bacia PCJ (Piracicaba-Capivari-Jundiaí) já tem uso certo: será empenhado na desobstrução da calha do rio Camanducaia, o prórpio curso d'água que gerou o recurso financeiro. São cerca de R$ 40 mil, uma quantia ainda pequena, pois a cobrança está sendo implantada de forma gradativa. Quem paga são os municípios e indústrias que têm outorga de captação de água do rio.

 

A limpeza do rio Camanducaia é importante para os municípios paulistas que usam a água do Sistema Cantareira, pois sua obstrução retarda a chegada da água aos reservatórios Jaguari e Jacareí. A obra deve melhorar o abastecimento de uma população estimada em 14 milhões de pessoas, somando os habitantes das Bacias PCJ e da Grande São Paulo.


"Os municípios mineiros de Camandicaia, Extrema, Toledo, Sapucaí Mirim e Itapeva são estratégicos para nós, paulistas, pois neles estão as as nascentes dos rios que formam o sistema Cantareira. Eles merecem muita atenção", diz o Coordenador da Agência de Bacias PJ e Coordenador de Projetos do Consórcio PCJ, Francisco Lahóz.