Bom para a saúde dos rios

Um estudo publicado nessa semana no periódico científico Nature mostra que os rios com maior biodiversidade conseguem se recuperar mais rapidamente da poluição. Os cientistas da Universidade de Michigan descobriram que oito espécies de algas em conjunto conseguiram remover nitrato ­- um composto químico do nitrogênio altamente poluente utilizado em fertilizantes - 4,5 vezes mais rápido que nos ambientes com apenas uma espécie.

Foram utilizados 150 modelos de ecossistemas em miniatura onde os cientistas reproduziram o processo de circulação das águas dos rios. Nessas simulações os cientistas observaram como diferentes algas dominavam cada habitat aquático. A partir daí eles constataram que, quando os ecossistemas dos riachos apresentavam diferentes tipo de habitat, a diversidade de algas presentes acelerava o processo de remoção dos poluentes.

"O estudo mostrou quantas espécies nós precisamos conservar para limpar a água, além de mostrar porque riachos que têm mais espécies são melhores para a remoção desses nutrientes poluentes da água", explicou Bradley Cardinale, responsável pela publicação do estudo na Nature. Com esses resultados os cientistas acreditam que, a longo prazo, as algas podem ajudar a tornar o tratamento de água mais eficiente.