Inventário das Árvores na imprensa mineira

A Gerente de Gestão Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), Márcia Mourão, concedeu recentemente uma extensa entrevista no programa "Chamada Geral" do conceituado jornalista Eduardo Costa, da Rádio Itatiaia.

A entrevista visava esclarecer de forma objetiva a realização do "Inventário das Árvores de Belo Horizonte", uma parceria da prefeitura, Cemig e SMMA, com o objetivo de levantar informações detalhadas de todas as cerca de 300 mil árvores dos logradouros públicos da capital, incluindo aquelas localizadas nos imóveis particulares lindeiros aos logradouros até cinco metros.

O pedido da entrevista partiu do próprio jornalista Eduardo Costa, no dia do lançamento oficial do Inventário. Segundo ele, "trata-se de uma das mais importantes iniciativas ecológicas e sociais já tomadas por uma administração municipal no país e, por isto mesmo, precisava ser devidamente divulgada e explicada para toda a população".

Márcia Mourão, lembrou que o trabalho será executado por técnicos e professores da Universidade Federal de Lavras (UFLA) a partir de um moderno software criado em conjunto com os técnicos da SMMA, Prodabel e da Universidade, que vai gerar o chamado Sistema de Informações do Inventário das Árvores de Belo Horizonte (SIIA-BH). Ela ressalta que este levantamento permitirá não só o gerenciamento dessas informações, como a atualização ou complementação permanente e continuada das mesmas. Essas novas informações serão relacionadas, por exemplo, ao registro de intervenções ou outros tipos de ocorrências sofridas pelas árvores (podas, acidentes, doenças, pragas, etc.), de demandas recebidas e de indicações de novos serviços a serem realizados nas mesmas. Assim, complementa Márcia Mourão, será possível não somente manter um amplo e rigoroso controle de supressão e substituição de espécies arbóreas na cidade, como também atender mais rapidamente as demandas da própria população, minimizando riscos de quedas e otimizando os serviços de poda e manutenção.

Cronograma de Trabalho

A implantação do Inventário tem previsão de duração 30 meses. O desenvolvimento e implantação do SIIA-BH deve ser concluído num prazo de seis meses, Já a coleta de informações detalhadas e georreferenciadas de cada um dos espécimes arbóreos existentes nos logradouros públicos da cidade e de seus respectivos entornos (censo quali-quantitativo da arborização), será realizada nos 12 meses subsequentes; e a manutenção do sistema e equipamentos por até 12 meses após a conclusão dos serviços.