Portas abertas para a natureza no Parque Municipal

Quem passou ontem pelo Parque Municipal Américo Renné Giannetti, no centro de Belo Horizonte, aprovou a revitalização da área verde, reaberta ao público após 81 dias de interdição.


"Já estava sentido muitas saudades desse paraíso", comemorou a pintora Adeir Reis, 63, que há 40 anos frequenta o espaço.


Ontem, a principal atração foram os novos bancos, produzidos com a madeira das árvores que, por oferecerem risco à população, foram extraídas no parque.


A vendedora Valéria Xavier, 29, levou a filha Iara, de apenas 6 anos, para brincar no Minhocão, um de seus brinquedos favoritos. "Eu queria morar aqui, de tão legal que é esse lugar", disse a menina.


Etapa final. Apesar da reabertura, as obras continuam, segundo o diretor do parque, Homero Brasil. "Vamos reformar os canteiros e replantar árvores no local das que foram retiradas". Segundo ele, mais troncos serão transformados em bancos e obras de arte.


O parque foi interditado após a queda de um jatobá ter provocado a morte de uma aposentada de 57 anos - a raiz da árvore estava podre e infestada de cupins.