Despoluição da Lagoa da Pampulha motiva visita



A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável vai conhecer as atividades em desenvolvimento para a despoluição da Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte. Para isso, a comissão vai visitar na próxima quinta-feira (23/6/16) o Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha (Rua Radialista Ubaldo Ferreira, 20, Castelo). A visita, marcada para as 17 horas, atende a requerimento da deputada Marília Campos (PT).

 

"Vamos à Bacia da Pampulha ver as obras que estão sendo feitas. Desde que fui prefeita de Contagem, defendo que as principais ações devem ser feitas nos córregos que passam pela cidade e que deságuam na Lagoa da Pampulha. Eles são os maiores poluidores do cartão-postal da Capital. A Prefeitura de Belo Horizonte tem feito obras para limpar a água do lago e a Copasa retomou as obras nos córregos de Contagem", afirmou a deputada.

 

Ela informou que, como o assunto tem sido debatido na Comissão de Meio Ambiente, os parlamentares querem acompanhar o andamento das obras e defender o resgate da Lagoa Pampulha e de toda sua bacia.

 

Bacia - De acordo com informações do Portal da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), a Bacia da Pampulha se estende pelos municípios de Belo Horizonte e Contagem, é composta de oito afluentes e possui área total de 97 Km².

 

Nos últimos anos, a deterioração da qualidade da águas fez com que uma série de ações fossem realizadas pela PBH, entre as quais dragagem parcial, retirada de aguapés, educação ambiental e monitoramento da qualidade das águas.

 

Ainda segundo o Portal da PBH, em 1998, foram realizadas cinco ações de limpeza na lagoa, por meio das quais foram retirados mais de 200 toneladas de lixo do local, com pneus, garrafas, animais mortos, sofás, armários, entre outros. Em 2004, cerca de duas mil toneladas de lixo foram retiradas da lagoa.

 

Consórcio - O Consórcio de Recuperação da Bacia da Pampulha é formado pelos municípios de Belo Horizonte e Contagem, por empresas públicas e privadas, associações civis e pessoas físicas, ainda segundo o Portal da PBH, e tem como meta o gerenciamento ambiental da bacia com o intuito de buscar soluções conjuntas para a sua recuperação e proteção ambiental.

 

Entre as principais atividades do consórcio listadas pela PBH estão a viabilização de recursos financeiros para solucionar os problemas ambientais da bacia; o monitoramento da qualidade e da quantidade das águas; a promoção de programas educacionais e de comunicação para o envolvimento das comunidades; e o apoio às prefeituras municipais e suas concessionárias nas ações de melhoria do saneamento básico e na melhoria de qualidade de vida da região.

23-6-2016