Esmeraldas ampliará rede de esgoto de 15% para 70% até 2017



 

 

A Assembleia

Deputados

Atividade Parlamentar

Participe

Acompanhe

Consulte

Educação para Cidadania

 

Notícias Rss

08/06/2016 16h11

Esmeraldas ampliará rede de esgoto de 15% para 70% até 2017

É o que prevê plano de ação da Copasa, anunciado em audiência na ALMG, para melhorar saneamento básico na cidade.

Twitter Facebook

Email Versão para impressão

 

Ampliação da cobertura da rede de esgoto, passando de 15% para 70% até março de 2017; o fim da necessidade do atendimento por caminhões-pipa nos bairros; e a criação de 25 novas zonas de abastecimento de água. Essas são algumas das medidas anunciadas para a cidade de Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), pelo diretor de Operação Metropolitana da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), Rômulo Thomaz Perilli, em audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

 

O objetivo da reunião, promovida pela Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável nesta quarta-feira (8/6/16), foi discutir o plano de ação da Copasa para universalizar abastecimento público de água para o município, bem como debater a questão do saneamento básico. A audiência atendeu a um pedido da deputada Marília Campos (PT) e do presidente da comissão, deputado Cássio Soares (PSD).

 

De acordo com o diretor da Copasa, o plano de ação, que já está em execução, foi montado baseado em demandas apresentadas em três reuniões promovidas pela Assembleia, por iniciativa da deputada Marília Campos, para debater o tema. “Vamos mudar a realidade de Esmeraldas, um dos municípios com menor índice de atendimento em saneamento básico no Estado”, prometeu. Ele contou que, atualmente, há na cidade 44 poços artesianos. “Fechamos 2015 com 25 mil ligações de água e sete mil de esgoto. O atendimento de água é de 85% da população e, de esgoto, apenas 15%”, explicou.

 

Monitoramento - Rômulo explicou que, a partir do plano de ação, a cidade foi dividida em unidades autônomas, que serão monitoradas pela Copasa com regularidade. “Vamos implantar um sistema de monitoramento em 80 pontos do município para saber como estão as águas em reservatórios e nos poços. O sistema atual distribui água de modo muito precário”, afirmou.

 

Ele disse, ainda, que, para a construção do plano, foram separadas demandas por bairro e elencadas ações e prazos. “Estamos equipando poços já existentes, revitalizando reservatórios, entre outras medidas. Liberamos, no total, mais de R$ 1,3 milhão para este ano para melhorias na cidade”, anunciou.

 

O diretor da Copasa também disse que, até 2018, serão feitas 1.000 ligações de rede de esgoto. “Há, na cidade, vários pontos em que há coletores, mas que não foram ligados a redes. Assim, a população acaba jogando esgoto em córregos ou em fossas”, destacou. Segundo ele, era comum gestões passadas da Copasa construírem apenas as redes coletoras, sem realizar o procedimento completo. Ele falou, ainda, que, até agosto, o escritório da empresa para o atendimento da população na cidade será ampliado, modernizado e terá novos atendentes.

 

Déficit - O prefeito de Esmeraldas, Glacialdo de Souza Ferreira, disse que há um “déficit histórico” muito grande de saneamento básico, infraestrutura e fornecimento de água na cidade. “Estamos a 50 quilômetros da RMBH, somos três vezes o tamanho do território de Belo Horizonte, somos uma cidade rica em minério, mas temos baixos investimentos de órgãos públicos”, criticou. Ele pediu que se acelere a ampliação do fornecimento e do abastecimento de água na cidade, bem como a construção das ligações das redes de esgoto.

 

O vereador de Esmeraldas Ronaldo Oliveira disse que a questão do saneamento básico “não dá mais para esperar”. A vereadora Ana Márcia de Moraes achou demorada a previsão para as melhorias, mas agradeceu o empenho da Copasa. O representante dos moradores da Bacia Vargem das Flores e da Associação do Bairro Ouro Branco, Mario Guimarães Filho, lembrou que “saneamento básico é dever e direito de todos”.

 

Deputada afirma que cidade merece investimentos

 

A deputada Marília Campos disse que a audiência foi importante para tornar pública a realidade de Esmeraldas, que, segundo ela, merece investimentos do Executivo municipal e da Copasa. “Também tomamos conhecimento nessa reunião de recursos públicos que eram gastos em anos anteriores sem preocupação com a operacionalização de todo o sistema”, pontuou. Segundo ela, uma cidade não pode se desenvolver sem que se leve água e tratamento de esgoto, além de melhorias de infraestrutura.

 

O deputado Cássio Soares (PSD) afirmou que a Copasa sempre ouve os parlamentares quando acionam a empresa quanto às necessidades de investimento em Esmeraldas. Já o deputado Dilzon Melo (PTB) afirmou ser “ardoroso defensor” da Copasa há 33 anos. “Acredito em seu trabalho, mas a empresa não pode sofrer ingerências políticas”, pontuou. Ele manifestou, ainda, apoio às reivindicações feitas pelas lideranças de Esmeraldas.

 

Requerimentos - Ao final da reunião, deputados aprovaram uma série de requerimentos referentes ao assunto discutido. A deputada Marília Campos pediu que fosse encaminhado à Promotoria de Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais um pedido de providências para que seja analisada a denúncia de que o loteamento Floresta Encantada, em Esmeraldas, foi implantado sem infraestrutura sanitária adequada, antes da venda dos lotes. A denúncia foi feita por um morador da região durante a audiência pública.

 

Os deputados Dilzon Melo e Cássio Soares e a deputada Marília Campos solicitaram que sejam encaminhadas à Prefeitura de Esmeraldas as notas taquigráficas da reunião. Pediram também que seja encaminhado à Copasa pedido de providências para que seja realizada a limpeza de fossas sépticas de unidades escolares de Esmeraldas.

 

Os três parlamentares solicitaram, ainda, que fosse encaminhado à Copasa pedido de providências para que sejam implantadas redes de abastecimento de água nos Bairros Vale Esmeraldas, 1ª e 3ª seção, e Parque Nova Ceasa e adjacências; para que haja implantação e operação do sistema de abastecimento de água no Bairro Vale Bom Jesus; para que auxilie Esmeraldas na atividade de limpeza das fossas até que seja implantado o sistema coletor de esgoto; e para que seja enviado o plano de ação de Universalização do Abastecimento Público de Água no Município de Esmeraldas à Prefeitura de Esmeraldas.

 

Copanor - O deputado Arlen Santiago (PTB), por sua vez, pediu uma audiência pública para que o diretor-presidente da Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais S/A (Copanor) faça uma explanação sobre o planejamento de obras no Vale do Jequitinhonha.

10-6-2016