Secretário quer evitar ‘cemitério de projetos’ no Meio Ambiente



O advogado Jairo Isaac assumiu na última semana a secretaria de Meio Ambiente do governo Fernando Pimentel. O novo secretário foi diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e presidente do conselho do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Nome com perfil técnico, ele é próximo do ex-governador Newton Cardoso. Segundo fontes do governo, quem intermediou sua indicação foi o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes (PMDB). O deputado tem se articulado para ser o líder do partido em Minas. A nomeação está sendo encarada como sendo dentro da cota do PMDB e é uma forma de prestigiar o partido aliado.

 

À frente de uma das pastas tidas como estratégicas pelo Executivo – a secretaria é vista hoje por Fernando Pimentel como essencial para impulsionar investimentos no Estado – Isaac pretende destravar “os milhares” de autos de infração que estão na fila para serem julgados no Estado e as “licenças e outorgas represadas na repartição”.

 

“Não sei precisar ainda qual o volume de trabalho represado. Precisamos encontrar onde está o gargalo. Não acredito que seja um problema de pessoal. Teremos que ter habilidade política e poder de gestão. O órgão não pode ser visto como um cemitério de projetos empresariais por excesso de exigências técnicas. Depois da tragédia de Mariana envolvendo a Samarco, houve um impacto em todas as pessoas, tanto empresários quanto técnicos estão mais cautelosos. Não podemos deixar que coisas dessas natureza, seja em que área for, se repitam”, afirmou Jairo Isaac.

 

Segundo o secretário, “o empresário não pode ser tratado como criminoso só porque é empresário ou porque pretende erguer um empreendimento”. “Ao mesmo tempo, logicamente, que a preservação do meio ambiente é importante. Terei a firmeza necessária para buscar esse equilíbrio entre desenvolvimento e preservação”, disse.{

 

Jairo Isaac disse que não pretende fazer mudanças na equipe atual. “Primeiro vou conversar com todos. As pessoas são competentes, e uma ou outra pode não estar no lugar certo. A recomendação do governador é para que a entidade mostre serviço, que não seja um dificultador ao investimento e que tenha cautela com o meio ambiente”. O novo secretário diz que, apesar da sua proximidade com o PMDB, não tem planos políticos para o futuro e que “jamais” será candidato a um cargo eletivo.

 

Jairo Isaac assume a pasta de Meio Ambiente no lugar da interina Maria de Fátima Coelho, que era presidente do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam). O antigo titular, Sávio Souza Cruz (PMDB), migrou para a Saúde em uma troca para valorizar a ala do PMDB que é mais próxima do governador Fernando Pimentel e do próprio deputado Adalclever Lopes.

Perdeu força

 

Dentro do PMDB de Minas, a avaliação é que o vice-governador, Antônio Andrade, presidente estadual da legenda, saiu enfraquecido após o anúncio da equipe de ministros do presidente interino Michel Temer. O ex-governador do Estado Newton Cardoso (PMDB) se irritou com o fato de Andrade não ter conseguido garantir o Ministério da Defesa para o seu filho, o deputado federal Newton Cardoso Júnior. A bancada mineira federal também saiu frustrada, sem nenhuma pasta. Peemedebistas avaliam que Andrade tem se afastado do governo e da bancada estadual, da qual nunca foi muito próximo por sempre ter atuado mais em Brasília, como ministro e como deputado federal. Por outro lado, o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes, tem se fortalecido na legenda. Lopes e Andrade nunca foram próximo e têm suas diferenças.

 

Conversas tucanas

 

Peemedebistas da Assembleia confirmaram à coluna que há um início de assédio e aproximação por parte do PSDB ao partido. Segundo um parlamentar, que pediu para não ser identificado, tucanos e parte da bancada do PMDB vêm elogiando bastante a atuação do diretório nacional, principalmente na Câmara Federal, quando a legenda atuou pelo afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT). Apesar disso, o parlamentar ainda nega que a aproximação do PSDB consiga ter resultados e rache a base de Pimentel na ALMG. “Não há qualquer possibilidade de conversa entre os dois partidos na Casa. Em Belo Horizonte, é possível que exista uma aproximação entre os diretórios municipais, mas isso não passa por aqui. Assim como a bancada federal tem autonomia”.

 

“Fui vencido internamente. Como governo, defendo a decisão adotada.” Geddel Vieira Lima (PMDB), ministro da Secretaria de Governo, sobre a recriação do Ministério da Cultura.

 

Ir e vir. A Câmara dos Deputados analisa um projeto que garante transporte escolar para o aluno beneficiado com bolsa do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A proposta prevê o financiamento de acordo com os procedimentos do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate), usado para alunos do meio rural.

 

R$ 67 mil é o valor que a Presidência da República vai gastar para a locação de veículo com motorista. O automóvel utilitário tem capacidade para cinco pessoas e tração 4 x 4.

24-5-2016