Financiamento coletivo é criado para reconstruir distritos de Mariana



Com o intuito de reconstruir os distritos de Mariana, na região Central de Minas Gerais, atingidos pela lama da barragem Fundão em novembro passado, a Grey Brasil, em parceria com o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e o Laboratório de Geomateriais e Geotecnologia da EEUFMG criaram o financiamento coletivo Tijolos para Mariana. O objetivo é transformar a lama da tragédia em matéria-prima limpa e atóxica para a produção de tijolos que vão ajudar na reconstrução da cidade.

 

“Há três meses os Tijolos de Mariana estão sendo fabricados de forma artesanal, com produção de mil unidades por mês. Mas uma fábrica, que ampliará a produção para escala industrial, está prestes a sair do papel e para isso busca a participação de todos”, diz o texto na página do financiamento.

 

De acordo com o grupo, a ideia é que a fábrica de tijolos devolva 80 empregos diretos e indiretos à comunidade com uma mão de obra 100% local. “Ao final de cada ano, mais de 1 bilhão de quilos de lama terão sido retirados do meio ambiente, produzindo uma quantidade de tijolos suficientes para reconstruir mais de 1.200 casas populares, hospitais e escolas da região”, explica o texto. Ainda segundo o grupo, embora os especialistas digam que vai demorar décadas para que a comunidade seja reconstruída, os moradores da cidade sentem quea retomada da cidade é urgente. A ideia é que a fábrica de tijolos continue funcionando mesmo depois da reconstrução da cidade e o material seja vendido nas lojas de materiais de construção de Minas com lucro revertido para a cidade.

 

Quem quiser pode ajudar pela página do financiamento coletivo Tijolos de Mariana. A expectativa é arrecadar R$400 mil, porém até agora apenas R$16 mil foram conseguidos, 3% da meta. Ainda há mais 16 dias para que o objetivo seja alcançado.

18-04-2016