Minas Gerais ganha mais uma unidade de conservação



Minas Gerais ganhou mais uma unidade de conservação. O Governo transformou em Monumento Natural a Gruta Lapa Nova de Vazante, localizada na região Noroeste do estado. O Decreto nº 46.960 que cria o Monumento foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (1º).

 

A área proposta para criação do Monumento Natural é de 79,0471 hectares e engloba, além da Gruta Lapa Nova, duas outras cavidades: Lapa Nova 2 e Lapa da Gameleira. A Gruta Lapa Nova de Vazante possui mais de 4,5 mil quilômetros de extensão e atrai grande número de visitantes.

 

Inserida nos biomas Mata Atlântica e Cerrado, o local abriga espécimes da fauna e da flora ameaçados de extinção. Entre as árvores encontradas no local estão a Aroeira do Sertão e o Gonçalo-Alves. O lobo-guará, o tamanduá bandeira e a arara canindé são alguns dos animais que habitam a região.

 

A área já era protegida desde 1990, quando foi transformada em Área de Proteção Especial (APE), categoria de área protegida criada em Minas Gerais. "Porém, as APEs não existem no Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) e o IEF vem adequando sua condição à legislação federal, ampliando sua proteção", explicou o diretor de Áreas Protegidas do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Henri Dubois Collet.

 

Dentro da nova categoria prevista por lei, o Monumento Natural Estadual da Gruta Lapa Nova de Vazante passará a seguir as normas previstas. Os próximos passos incluem a elaboração de plano de manejo e eleição de um conselho consultivo, além de outras definições como de uma gerência local, equipe técnica e regulamentação da visitação.

 

Com a criação do Monumento Natural Gruta Lapa Nova de Vazante, Minas passa a ter 92 unidades de conservação, que totalizam 2,5 milhões de hectares protegidos.

 

 

Com informações do Instituto Estadual de Florestas

07-03-2016