Manancial que abastece 300 mil em BH está contaminado



De um lado, uma mata repleta de nascentes e com fauna e flora riquíssima, que, com mais de 600 hectares, deveria ser intocável. Do outro, a imprudência e a falta de organização e de responsabilidade de órgãos e pessoas em relação à natureza. Criada em 1994, a Estação Ecológica de Fechos, em Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, sofre com a degradação, mesmo sendo a responsável pelo abastecimento de água de cerca de 300 mil pessoas da região Centro- Sul da capital, incluindo alguns bairros da vizinha Nova Lima.

 

Além de problemas sérios já conhecidos – como o de lançamento, por meio de canos fluviais, de esgotos clandestinos em nascentes – o local vem se transformando em um verdadeiro bota-fora. Há quase um ano, o Ministério Público Federal (MPF) abriu uma investigação para esclarecer as causas dessa degradação e cobrar medidas de órgãos envolvidos. Passado todo esse tempo, porém, nada ainda foi feito. Com isso, a situação na localidade só vem se deteriorando.

 

Com cercas quebradas por todos lados, a reportagem de O TEMPO conseguiu entrar na estação sem qualquer dificuldade. Ao invés de ar puro, o que domina o local é um odor muito forte. Logo em uma entrada clandestina no local, onde 100 m da cerca foram derrubados às margens da BR–040, no bairro Jardim Canadá, um cano jorrava uma água barrenta tomada pelo esgoto. Em um dos pontos visitados da estação, a reportagem encontrou carrinhos de supermercados jogados pela mata. Entulhos também estavam espalhados por diversos pontos.

 

Moradora de um dos condomínios vizinhos da estação ecológica e participante do movimento “Fechos eu cuido”, Lílian Costa, conta que há anos moradores vêm lutando em favor de melhorias para a região.

 

“Não é todo mundo que sabe sobre a importância de Fechos para o abastecimento de água de Belo Horizonte e Nova Lima. Aqui estão várias nascentes, e toda essa poluição por esgoto e lixo interferem na qualidade da água que bebemos”, alertou.

 

Relatório. A pedido do MPF, um relatório sobre a situação da estação foi feito pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), em que foram verificados 48 pontos de danos dentro da estação. Entre os principais problemas levantados pelo estudo estavam justamente a questão de esgotos clandestinos lançados na localidade.

 

“É uma situação preocupante. Um grupo de trabalho foi montado e discussões estão sendo feitas entre todos os envolvidos. Esperamos ainda uma resposta do MPF, mas também estamos buscando outras formas. E temos que lembrar que o cuidado que se deve ter com a estação não se passa somente pelos órgãos, mas também por toda a população” contou o diretor de áreas Protegidas do IEF, Henri Collet.

 

Além da questão do esgoto, outro ponto problemático encontrado foi o falho escoamento da rodovia, que joga água suja e poluída dentro da estação. As investigações do MPF ainda não possuem prazo de conclusão. “Os problemas são muitos, mas ninguém quer assumir essa responsabilidade. Temos que nos unir para proteger o local.”

 

Lilian Costa Movimento “Fechos Eu Cuido”

 

Abastecimento

 

Manancial. O Córrego dos Fechos é um dos mananciais que abastecem a Estação de Tratamento de Água (ETA) Morro Redondo, que fornece água para os bairros Belvedere, Santa Lúcia, Santo Antônio, Sion, Serra, Savassi, Pilar e Olhos D’água, em Belo Horizonte, e Seis Pistas e Vale dos Cristais, em Nova Lima.

 

Saiba mais

 

Reestruturação. O Instituto Estadual de Florestas (IEF) solicitou à Vale e à Copasa que fossem feitas restaurações nas partes degradadas das cercas da Estação Ecológica de Fechos.

 

Lixo. De acordo com o IEF, a Prefeitura de Nova Lima recolhe o lixo regularmente. Porém, segundo o órgão, pessoas continuam utilizando o espaço para jogar fora lixo e entulhos.

 

Via 040. Procurada para manifestar sobre a escoamento da rodovia 040, que joga água suja e poluída dentro da estação, a concessionária Via 040 informou que não iria se pronunciar sobre o assunto.

 

07-03-2016