Prefeitura de Colatina volta a captar água no Rio Doce



A Prefeitura de Colatina, Noroeste do Espírito Santo, voltou a fazer a captação de água no Rio Doce, na noite deste domingo (22), depois do resultado positivo da análise feita pelo laboratório Tommasi. A distribuição acontece gradativamente a partir desta segunda-feira (23).

 

Desde a aproximação da enxurrada de lama vinda de Mariana, em Minas Gerais, à 0h desta quarta-feira (18), o abastecimento de água foi suspenso no município. Como os reservatórios estão completamente secos, a prefeitura informou que vai precisar de dois ou três dias para normalizar o abastecimento em todas as casas do município.

 

A lama de rejeitos de minério que vazou da barragem da Samarco - cujos donos são a Vale a anglo-australiana BHP Billiton - chegou ao mar neste domingo (22), após passar pelo trecho do Rio Doce no distrito de Regência, em Linhares, no Norte do Espírito Santo, segundo o Serviço Geológico do Brasil.

 

Confusão

No primeiro dia de distribuição de água feito pela Samarco em Colatina, na quinta-feira (19), houve tumulto. Moradores do bairro Santos Dumont ignoraram a ação de funcionários da empresa e subiram em cima do caminhão, pegando mais litros do que outros, segundo relatos de populares.

 

Após tumulto, o Ministério Público Estadual (MP-ES) notificou a Prefeitura de Colatina nesta sexta-feira (20) para que o postos de distribuição fossem ampliados e melhor organizados. A prefeitura afirmou que não tem efetivo suficiente para organizar os 100 postos solicitados pelo MP-ES.

 

Municípios afetados

Desde o rompimento da barragem, no dia 5 de novembro, a onda de rejeitos seguiu pelo Rio Doce e atingiu três municípios capixabas: Linhares, que não usa as águas do Rio Doce para abastecimento da cidade; Baixo Guandu, que passou a usar as águas do Rio Guandu; e Colatina, que tinha o rio como única fonte de captação e havia suspendido o uso da água.

25-11-2015