Rede de monitoramento da qualidade do ar da FEAM integra Plataforma Nacional



A Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM, é uma das oito instituições estaduais de meio ambiente do Brasil a integrar a Plataforma Digital criada pelo Instituto de Energia e Meio Ambiente - IEMA.

 

A rede de monitoramento da qualidade do ar existente em Minas Gerais, que mede as concentrações de poluentes na atmosfera está disponível na plataforma digital www.qualidadedoar.org.br, que reúne informações sobre a qualidade do ar dos estados que executam esse monitoramento.

 

A plataforma da qualidade do Ar foi lançada pelo IEMA neste mês de outubro e conta com informações da primeira edição do Diagnóstico da Rede de Monitoramento da Qualidade do Ar no Brasil. A plataforma pode ser acessada em www.qualidadedoar.org.br ou www.energiaeambiente.org.br.

 

Lá, o visitante tem informações sobre as séries históricas das concentrações de poluentes medidos de 2000 a 2014. As informações podem ser pesquisadas por tipo de poluente, por estado, região metropolitana ou estação monitorada.

 

Além da plataforma, as informações das estações automáticas de monitoramento gerenciadas pela FEAM são divulgadas, também, diariamente, na página da Fundação por meio do boletim diário de qualidade do ar. Nela é apresentada a classificação da qualidade do ar para as cidades que mantêm rede de estações operando, como Belo Horizonte, Betim, Contagem, Ibirité, Timóteo, Ipatinga, Itabira, Paracatu, entre outras.

 

O Instituto de Energia e Meio Ambiente – IEMA, é uma organização da sociedade civil de interesse público – OSCIP, de perfil técnico, que doa seu trabalho para apoiar a formulação, implantação de políticas públicas relativas ao meio ambiente. O trabalho irá facilitar estudos sobre poluição e saúde.

 

O primeiro contato do usuário com a plataforma é o mapa do Brasil, com estações que compõem a rede em atividade no território em 2014. Clicando no ícone que as identifica, o usuário visualiza informações como data do início do monitoramento naquela estação, quais os poluentes medidos (como monóxido de carbono, material particulado, ozônio, fumaça, dióxido de nitrogênio, entre outros).

 

A partir dessa opção é possível seguir para a página que detalha as medições de todos os poluentes nesse local, visualizar a comparação com o padrão de qualidade do ar nacional, e com o que recomenda a Organização Mundial de Saúde - OMS. É possível, ainda, fazer comparações entre várias estações de um mesmo estado.

 

Fonte: FEAM

21-10-2015