Incêndio na Serra do Rola Moça é controlado após cerca de 60h



Após aproximadamente 60h de combate, o Corpo de Bombeiros conseguiu, na noite desta terça-feira (22), controlar completamente o incêndio que teve início na manhã do último domingo (20) no Parque da Serra do Rola Moça, em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte.

 

De acordo com a corporação, 107 homens, entre bombeiros e brigadistas, trabalharam no combate ao incêndio. Apesar do trabalho de rescaldo ter sido finalizado, na noite desta terça-feira outros 27 militares seguiam no local realizando monitoramentos para evitar que as chamas recomecem. Conforme balanço parcial divulgado pelos militares até o final da noite dessa segunda-feira (21), 1.450 hectares ou mais de um quarto de toda vegetação da serra haviam sido queimados.

 

A área atingida pelo incêndio integra a área de reserva do parque, que tem um total de 3.941,09 hectares. O balanço final da extensão de vegetação queimada no incêndio ainda não foi divulgado. Ninguém se feriu e nenhuma residência foi atingida.

 

Neste ano, o número de ocorrências de incêndio no Parque do Rola Moça é de 34 e a área interna queimada chegou a 29,24 ha. Em 2014, foram 65 ocorrências em todo o ano, com 697,68 ha. Já em 2013, foram apenas 39,25 ha queimados em todo o ano, com 37 ocorrências. Os dados de 2015 foram atualizados pelo Corpo de Bombeiros na última quarta-feira (16).

 

Incêndios pelo Estado

 

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o satélite de referência detectou entre janeiro e setembro deste ano o total de 3.898 focos ativos de incêndio em Minas Gerais. Se comparado ao mesmo período de 2014, até então houve uma redução de aproximadamente 45% nos focos do estado, uma vez que no ano passado foram 7.119 focos ativos nos primeiros nove meses.

 

Em contrapartida, o número de focos de calor registrados em Unidades de Conservação (UC) estaduais e federais existentes no Estado nos primeiros nove meses de 2015 apresentou um aumento de 10% em comparação com o ano passado, passando de 2.848 focos para 3.126. Com 638 focos já registrados, a unidade mais atingida pelo fogo até agora foi o Parque Nacional da Serra do Canastra, em São Roque de Minas, na região Centro-Oeste, onde está a nascente do Rio São Francisco.

 

Outra UC que também vem sendo castigada pelas chamas é o Parque Estadual da Serra da Boa Esperança, no município de mesmo nome, no Sul de Minas. O Corpo de Bombeiros de Varginha, que atua no local desde o último sábado (19), acredita que pelo menos 2 mil hectares dos 5.873 do parque já foram consumidos pelas chamas.

 

A menos de 10 dias do fim do mês, setembro apresenta 1.817 focos ativos detectados pelo satélite, um número abaixo da média histórica para o mês, que é de 2.753 focos. Em setembro de 2014 o INPE detectou o total de 3.454 focos ativos, o que hoje representaria uma queda de cerca de 50%.

 

Ainda conforme os dados do instituto, os satélites registraram 869 focos de incêndio em Minas Gerais somente no intervalo entre a meia-noite de segunda-feira (21) e a tarde desta terça-feira (22).

23-09-2015