Fábrica de Florestas quer revitalizar o Velho Chico



Um programa de revitalização de nascentes e afluentes do rio São Francisco – que são abundantes em Minas Gerais – pode se tornar um projeto de governo no Estado. Ainda inédita em terras mineiras, a ação intitulada “Fábrica de Florestas” já é realizada na Bahia deste 2008, com o intermédio do senador baiano Otto Alencar (PSD), e será apresentada na próxima sexta-feira ao governador Fernando Pimentel (PT) e a técnicos da área. Se aprovada, serão montadas em Minas três fábricas de mudas de árvores que servirão para o reflorestamento das matas ciliares dos rios das Velhas, Paraopebas e Urucuia, todos parte da bacia do Velho Chico.

 

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), no último dia 25 foi publicado um decreto que institui um grupo de trabalho para elaborar o Programa Estadual de Recuperação de Áreas Degradadas, que englobará diversas ações para revitalização das matas ciliares da bacia do rio São Francisco.

 

Como a nascente do Velho Chico está em Minas, e todos os afluentes ficam no Estado e na Bahia, o senador Otto Alencar afirma que decidiu apresentar a iniciativa para o governador mineiro. “Conversando com o Fernando Pimentel, ele se apaixonou pelo projeto. Ao fim desta semana, estou mandando os responsáveis pela Fábrica de Florestas para uma reunião de apresentação do piloto em Minas. O que está sendo preparado é para uma fábrica que replantará as matas ciliares dos rios das Velhas, Paraopebas e Urucuia”, explicou o parlamentar.

 

Produção. A ideia é instalar três fábricas, que funcionarão como viveiros para as mudas. Em seguida, elas serão levadas para as margens dos rios e plantadas como mata ciliar. As fábricas serão construídas nas cidades de Moeda, Rio Acima e Arinos. Ainda não há uma definição para o início do projeto, mas, segundo Alencar, o governador de Minas já disse que está disposto a empregar verbas estaduais na ação.

 

A assessoria da Semad informou que os trabalhos de recuperação de áreas degradadas serão realizados por uma equipe da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). No entanto, a assessoria da Codemig não confirmou detalhes do projeto.

 

A transposição

 

Avaliação. De acordo com o governo federal, a última avaliação das obras de transposição do rio São Francisco, feita no fim de julho, mostrou que 77,8% da execução física do projeto já foram realizados.

 

Verba. Até agora foram investidos R$ 6,8 bilhões, dentro de um orçamento de R$ 8,2 bilhões.

 

Obras. As obras começaram a ser entregues em 2014. O restante será entregue a partir deste ano, com previsão final entre dezembro de 2016 e início de 2017.

 

Instituto

 

Fábrica. O Instituto Fábrica de Florestas é uma organização sem fins lucrativos e que já atua com o reflorestamento na região do polo industrial de Camaçari, na Bahia, e no Estado de São Paulo.

 

Com verba de R$ 2,5 bi, projeto do governo federal recupera rio

 

O governo federal, junto com as obras de transposição do rio São Francisco, também realiza algumas ações para a revitalização da bacia e afluentes do Velho Chico. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, elas contemplam o combate ao processo de erosão e a recomposição de matas ciliares. Já foram investidos R$ 1,7 bilhão nesse processo.

 

O Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco é realizado por meio de ações da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). Segundo a pasta, elas afetam cerca de 23 milhões de brasileiros.

 

A verba total destinada a essa ação é de R$ 2,5 bilhões e faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Estão sendo feitos a revitalização de nascentes, o desassoreamento do rio, a revegetação e a recomposição de matas ciliares. Além disso, ainda de acordo com o ministério, também serão implantados sistemas públicos de coleta, tratamento e destinação final de resíduos sólidos e esgotamento sanitário.

11-09-2015