Sistema Paraopeba está perto de registrar a menor marca



O Sistema Paraopeba registrou nesta segunda-feira o armazenamento de 29,6% de sua capacidade, apenas 0,13 ponto percentual acima do nível mais baixo do ano. A marca de 5 de fevereiro de 2015, duas semanas depois do anúncio da crise pela Copasa, chegou a 29,47%, o que, segundo a companhia, também é a menor já registrada na Grande BH, com a atual configuração do Sistema Paraopeba com seus três reservatórios. Analisando os últimos dias do Paraopeba é possível perceber que o nível tem diminuído diariamente, às vezes até com quedas percentuais de 0,2% por dia, o que aponta para novo recorde negativo até o fim da semana.Para calcular o volume disponível em todo o sistema, a Copasa leva em conta o volume armazenado nas represas Vargem das Flores, Serra Azul e Rio Manso. Ontem, Rio Manso, que é o maior reservatório do Paraopeba, estava com o maior percentual armazenado (39,9%). Serra Azul apresentava apenas 12%, e a represa Vargem das Flores fechou com 29,7% de sua capacidade (veja quadro).A estimativa da Copasa para bater o martelo e evitar o racionamento na Grande BH levou em conta a economia média da população entre fevereiro e julho, na ordem de 13,4%, além de 55% mais chuvas de janeiro a julho deste ano do que o acumulado no mesmo período de 2014.

 

A companhia prevê que, se chover de agosto a novembro a mesma quantidade registrada em igual período do ano passado, o Sistema Paraopeba terá, em dezembro, 20% de sua capacidade. O atual volume do sistema é suficiente para o abastecimento até janeiro de 2016, mesmo se não chover nenhuma gota até lá, de acordo com a empresa. A Copasa também informa que aumentou em 400 litros por segundo a capacidade de transferência da água produzida pelo Sistema Rio das Velhas para a área atendida pelo Sistema Paraopeba, o suficiente para abastecer uma população de 746 mil habitantes.

 

Para dezembro está prevista a conclusão das obras de captação adicional no Rio Paraopeba, que levarão 5 mil litros de água por segundo até a Estação de Tratamento de Água do Rio Manso, possibilitando a recarga dos reservatórios do Paraopeba e garantindo o abastecimento sem a necessidade de restrições nos próximos 20 anos. Sobre os problemas no Barreiro, a Copasa afirma que o abastecimento voltou ao normal ontem, porém, a normalização para algumas regiões ocorreria de forma gradativa ao longo do dia.

25-08-2015