Governador Valadares terá que readequar captação de água por causa do nível do Rio Doce



A forma de captação de água em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, precisará ser readequada por causa do nível da água na Bacia Hidrográfica da região. A situação foi exposta nesta terça-feira durante uma reunião convocada pela Agência Nacional de Águas (Ana) em Vitória, no Espírito Santo, estado que também é banhado pelo rio. De acordo com Gisela Forattini, diretora da área de planejamento da Ana, a vazão do Rio Doce ainda não está em seu limite mínimo, mas a água não tem altura suficiente para chegar até a bomba de captação.

 

Segundo a Ana, na estação de Governador Valadares, o nível do Rio Doce está em 1,06 metro. A faixa considerada normal é entre 1,27 metro e 3,09 metros. De acordo com a diretora, o município deverá deslocar a bomba de captação para uma região mais baixa ou então instalar uma bomba flutuante. O em.com.br entrou em contato com o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Governador Valadares, mas ninguém retornou as ligações para informar quais obras serão feitas.A reunião desta terça-feira reuniu representantes do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), do Instituto Estadual do Meio Ambiente (Iema-ES), do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Doce e da Agência Estadual de Recursos Hídricos do Espírito Santo (AGERH).

 

De acordo com Gisela Forattini, além da seca, foram discutidas questões de saneamento e desmatamento. "A degradação da Bacia Hidrográfica do Rio Doce é uma questão histórica. Vivemos um momento crítico, mas essa situação já se arrasta há anos", diz a diretora.

 

Segundo Forattini, as reuniões vêm acontecendo com mais frequência por causa da crise hídrica, mas também para apresentar pontos do Plano Nacional de Segurança Hídrica e ouvir dos estados quais devem ser suas obras prioritária para pensar na situação a longo prazo. No dia 13 de julho, representantes da Ana se reuniram com o comitê criado pelo Governo de Minas para discutir a crise hídrica, mas segundo a Ana, nenhuma obra foi proposta até o momento.

 

Página na internet irá mostrar situação da bacia

 

Assim como já faz com as bacias hidrográficas dos rios São Francisco, Paraíba do Sul e do Sistema Cantareira, a Agência Nacional de Águas irá criar uma página especial em seu site para mostrar a situação do Rio Doce. De acordo com Gisela Forattini, o portal será de rápido acesso e irá traduzir melhor as informações técnicas. Os portais das outras bacias trazem dados, informações sobre legislação e relatórios de acompanhamento.

24-08-2015