Investimentos na revitalização do São Francisco alcançarão R$ 130 milhões em 2015



 

 

 

 

 

 

O governo federal deverá investir mais R$ 94 milhões em ações de revitalização do rio São Francisco até o fim de 2015, afirma o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi. Com o montante já liberado desde janeiro, o valor total alcançará aproximadamente R$ 130 milhões em dezembro.

 

 

 

O ministro participou no dia 11/6, em Brasília (DF), de reunião ordinária da comissão externa que acompanha as ações dos governos federal, estaduais e municipais no combate à seca no semiárido nordestino, na Câmara dos Deputados.

 

 

 

As ações de revitalização compreendem preservação das nascentes, saneamento ambiental, recuperação de matas ciliares e contenção de processos erosivos - 1 mil nascentes já foram recuperadas. "Essas ações, iniciadas em 2005, são contínuas. A revitalização e as obras do Projeto de Integração do Rio São Francisco são prioridades do governo federal no semiárido", explica Gilberto Occhi.

 

 

 

Na reunião, o ministro detalhou as ações do governo federal no combate à seca no semiárido do Nordeste: apresentou dados sobre implantação de cisternas, sistemas coletivos de abastecimento de água, poços e atendimento da Operação Carro-Pipa. O governo federal implantou na região 1.061.813 cisternas de 2003 a 2015 e 1.858 sistemas coletivos de 2011 a 2015 - os sistemas beneficiaram 74.320 famílias. Além disso, forneceu 6.702 carros-pipas, que atendem 3.760.210 nordestinos.

 

 

 

Obras estruturantes

 

 

 

O ministro também citou obras estruturantes em andamento ou previstas para o Nordeste, como Adutora do Pajeú, Cinturão das Águas, Canal das Vertentes Litorâneas e Adutora do Agreste. "O governo federal não descuidou da estruturação de obras importantes que diminuirão cada vez mais a necessidade de ações emergenciais. Damos a resposta emergencial e pensamos nas ações estruturantes", afirmou.

 

 

 

Após a apresentação, Gilberto Occhi respondeu aos questionamentos de parlamentares presentes. Um dos assuntos foi a renegociação de dívidas para municípios em situação de emergência. O ministro explicou que, após o reconhecimento federal, os gestores municipais podem buscar soluções para renegociação de dívidas em bancos federais.

 

 

 

"Orientem os prefeitos sobre a oportunidade de buscar alternativas, como saque do FGTS, antecipação do benefício da aposentadoria ou bolsa família, entre outros", explicou o ministro.

 

 

 

O relator da comissão, deputado Manoel Júnior (PMDB/PB), disse que o colegiado deverá produzir um relatório que aproxime os governos para ações de convivência com a seca e adversidades climáticas. "A contribuição do Ministério da Integração Nacional será de grande valia".

 

 

 

Para mais informações: http://www.mi.gov.br/

26-06-2015