Comitês apoiam compromisso em prol do Rio Doce



Instituto BioAtlântica (IBIO), FAEMG e FIEMG firmaram parceria para aumentar disponibilidade hídrica da Bacia durante o II Seminário Ambiental Água e Solo

 

 

 

Representantes dos Comitês de Bacia Hidrográfica dos rios Piranga, Piracicaba, Suaçuí e Manhuaçu estiveram presentes na cerimônia de assinatura de um termo de compromisso firmado entre o Instituto BioAtlântica (IBIO), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG) voltado para a promoção, fomento e desenvolvimento do Programa de Disponibilidade Hídrica do Rio Doce. O evento integrou a programação do II Seminário Ambiental Água e Solo, realizado nos dias 11 e 12 de junho, em Belo Horizonte.

 

 

 

Eduardo Figueiredo, presidente do IBIO; Olavo Machado, presidente da FIEMG; Roberto Simões, presidente da FAEMG, e João Cruz, secretário de Agricultura de Minas Gerais, assinaram o documento. Figueiredo ressaltou a importância do compromisso, que tem o apoio dos CBHs do Rio Doce. “A solução para a questão da disponibilidade de água depende da integração entre os vários setores da sociedade que lidam com o tema, principalmente aqueles que têm capacidade de melhorar a qualidade ambiental por meio de mudanças de comportamento e pelo planejamento de investimentos em adequação das bacias hidrográficas.”

 

 

 

Ele lembrou ainda que um dos principais objetivos do programa Disponibilidade de Água no Rio Doce é integrar os investimentos previstos por estes diferentes setores. “Essa integração deve ser legitimada pela participação efetiva dos CBHs e o compromisso que assinamos hoje é um passo muito grande para que agricultura, indústria e sociedade civil trabalhem juntos em favor do Rio Doce”, acrescentou.

 

 

 

O diretor geral do IBIO-AGB Doce, Ricardo Valory, também presente no encontro, observou que os recursos oriundos da cobrança pelo uso da água são ainda muito limitados para reverter o quadro de degradação da bacia do Rio Doce. “Esta junção de forças entre indústria, agricultura, Comitês e IBIO vem sinalizar a outros setores da sociedade que na Bacia do Rio Doce existe um arranjo institucional possível e confiável para investimentos”.

 

 

 

Para o presidente do CBH-Piranga, Carlos Eduardo Silva, o compromisso é importante não só para o rio Piranga, mas para toda a Bacia. “Os recursos provenientes da cobrança pelo uso da água são insuficientes para desenvolver todos os projetos e ações necessários para a recuperação do Rio Doce”, reforçou. O presidente do CBH-Piracicaba, Iusifith Chafith Felipe, por sua vez, chamou a atenção para a importância de contemplar os produtores rurais. “Esta iniciativa valoriza especialmente a participação dos usuários, que se organizam e mobilizam este segmento. Nesse sentido, os produtores rurais são aqueles que mais necessitam de projetos e investimentos que os façam apoiar uma política educativa e de desenvolvimento do campo”.

 

 

 

Lucinha Teixeira, presidente do CBH-Suaçuí, disse que o compromisso deve facilitar a implantação do Plano de Recursos Hídricos da Bacia do Rio Doce. “Nossa expectativa é bastante positiva. Acreditamos que esta iniciativa vem se somar aos esforços que o Comitê tem desenvolvido atualmente”. Para Isaura Paixão, presidente do CBH-Manhuaçu, a parceria serve como estímulo a novas ações. “Parcerias como essa dão mais força aos CBHs e à própria comunidade e ajudam no desenvolvimento dos trabalhos. Se não nos unirmos, não chegaremos a lugar algum”.

 

 

Para mais informações: http://www.cbhdoce.org.br

26-06-2015