Usina de biodiesel abre 1.700 vagas em Lima Duarte (MG)

A soja ainda reina absoluta como insumo para a fabricação de biodiesel, responsável por 80% do que é produzido no país, mas a aposta agora é a macaúba, uma espécie de palmeira encontrada em quase todas as regiões brasileiras, especialmente Minas Gerais. A empresa espanhola Entaban planeja investir cerca de R$ 280 milhões na região da Zona da Mata até 2016 na abertura de área de cultivo e instalação de uma unidade de produção de óleo vegetal no município de Lima Duarte, com geração de 1.700 empregos diretos e indiretos.


O investimento será divido em três etapas. A primeira teve início no fim do ano passado e deve ser concluída em 2012, com recursos de R$ 150 milhões, na qual será ampliada a área de plantio dos atuais mil hectares usados em pesquisa para 4 mil hectares. Na segunda fase, que deve terminar em 2014, serão adicionados mais 4 mil hectares. O último módulo tem previsão de término em 2016, com adição dos 4 mil hectares finais, mas ainda depende de incentivos do governo estadual. A produção deve ser concentrada nos municípios de Juiz de Fora, Pedro Teixeira, Lima Duarte e Olaria.


A usina em Lima Duarte deve ser implantada em 2012, quando se iniciará a produção de óleo e subprodutos, como ração animal, a partir da amêndoa gerada pela palmeira. " A macaúba é vantajosa porque, além de produzir mais óleo vegetal, desgasta menos o solo, se adapta a vários climas e dura até 50 anos, enquanto a soja tem que ser plantada todo ano", explica o diretor da Entaban do Brasil, Orlando Arruda.


O óleo da macaúba será usado como alternativa ao óleo de soja na fabricação de biodiesel. A macaúba permite a produção de quatro a cinco toneladas de óleo por hectare plantado, enquanto a soja gera somente 0,5 tonelada. O potencial da macaúba na produção de biodiesel levou o Governo de Minas a criar uma lei que dá incentivos aos pequenos produtores.


O biodiesel pode substituir total ou parcialmente o diesel de petróleo nos motores a compressão, o que reduz as importações de petróleo. Por ser uma energia renovável, também diminui em até 78% a emissão de gases de efeito estufa, além de gerar emprego e renda no campo. Segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP), o diesel vendido nos postos deve ser composto de 5% de biodiesel. A percentagem de mistura vem aumentando paulatinamente, e a previsão é de que fique ainda maior nos próximos anos.