BH, a capital sustentável



O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, é uma data que coloca o assunto na pauta das discussões. No entanto, mais do que estar em discussão, o meio ambiente precisa de ações para sua preservação, o que depende muito da sensibilização da sociedade e dos esforços do poder público para a realização de ações que contribuam para uma vida sustentável. Ao longo dos últimos anos, a Prefeitura de Belo Horizonte trabalha no desenvolvimento de ações que buscam a melhoria da qualidade de vida da população e o desenvolvimento sustentável da cidade. Em abril, Belo Horizonte conquistou, pelo segundo ano consecutivo, o título de Capital Nacional da Hora do Planeta. Confira nesta página algumas das ações da capital voltadas para o cuidado com o meio ambiente.

 

Segundo o vice-prefeito e secretário municipal de Meio Ambiente, Délio Malheiros, um dos motivos para a conquista foi o pioneirismo das ações para a contribuição da redução das emissões de gases que causam o efeito estufa. Belo Horizonte assumiu o compromisso, em seu planejamento estratégico, de redução das emissões locais em 20%, sem prejudicar, contudo, o desenvolvimento econômico da cidade. Também foram criadas ações como o selo BH Sustentável, iniciativa inédita que tem como objetivo estimular a construção sustentável pelo setores privado e público.

 

De acordo com Weber Coutinho, gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), desde que foi instituído o selo BH sustentável, evitou-se a emissão de 791.690 toneladas de CO₂ em três anos, o que corresponde a cerca de 6,5% das emissões totais anuais.

 

Também com foco no desenvolvimento sustentável, o município foi contemplado com o Projeto de Eficiência Energética da Sinalização Semafórica, o projeto LED, que substituiu as lâmpadas dos semáforos de toda a cidade, o que resultou em economia de energia, entre outros ganhos. Seguindo essa lógica, a capital estuda a mudança de toda a atual iluminação pública da cidade pelo sistema LED.

 

Belo Horizonte também construiu sua primeira estação de aproveitamento de biogás, onde processa e queima o gás metano produzido a partir da decomposição do lixo aterrado no antigo aterro sanitário da SLU, gerando energia elétrica, que é comprada pela Cemig e distribuída em sua rede, o que resulta em menos poluição no ar e em recursos para os cofres públicos.

 

A cidade tem trilhado, nos últimos anos, um ótimo caminho em direção à gestão sustentável das águas urbanas, com bons programas de gestão, como o Nascentes/Drenurbs e o Propam, além de ter participado, recentemente, de um projeto internacional coordenado pela Unesco, o projeto Switch.

 

Cidade Jardim

Belo Horizonte continua com o título de Cidade Jardim. A cidade foi considerada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a terceira mais arborizada do país, considerando cidades com mais de um milhão de habitantes, e conta com 18 m² de áreas verdes protegidas por habitante, índice 50% maior do que o preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

 

Além disso, a cidade acaba de ganhar sua 11ª Reserva Particular Ecológica (RPE), com área superior a 79 mil m². Aliado a isso há ainda o projeto de criação de corredores ecológicos na cidade aumentando as áreas verdes protegidas.

 

A cidade plantou nos últimos anos, por meio do programa BH Mais Verde, mais de 50 mil novas árvores. Vale lembrar que a cidade possui, de acordo com estimativas e com o Inventário das Árvores que está sendo realizado na cidade, mais de 500 mil árvores em logradouros públicos.

 

Formação ambiental

Nos últimos meses o município iniciou dois importantes trabalhos de educação ambiental nas escolas municipais. Um deles, iniciado no final de 2014, trata da conscientização dos estudantes para a importância dos recursos hídricos, chamando a atenção dos mesmos para os problemas de escassez que assolam o sudeste brasileiro.

 

Outro projeto de grande importância é o Líderes Ambientais, que capacita, monitores das escolas integradas de BH que irão atuar nas escolas e, principalmente, nas comunidades, levando a educação ambiental a todos.

08-06-2015