Suécia reaproveita 99% dos resíduos que produz



Apenas 1% do lixo produzido pela população da Suécia é destinada para lixões, o restante é reciclado, reutilizado ou transformado em energia renovável. O sucesso do modelo sueco é fruto de um trabalho de décadas.

 

Desde 1970, o país possui leis de logística reversa e a reciclagem está presente em todos os setores. Empresas e pessoas são obrigadas a separarem adequadamente seu lixo e os fabricantes são responsáveis por recolher os resíduos pós-consumo originados por seus produtos.

 

A medida resolve dois grandes problemas de uma só vez: a falta de espaço para o descarte de resíduos e a energia. Antes de o lixo ser incinerado, tudo o que pode ser reciclado é reaproveitado. Apenas o que sobra é destinado à produção de energia.

 

As usinas funcionam da seguinte forma: os resíduos são dispostos em incineradores, onde são queimados. Este processo gera vapor, usado para girar grandes turbinas, que produzem eletricidade. A partir daí, a energia é transmitida pelas redes de transmissão e entregue à população. De acordo com Göran Skoglund, porta-voz da Öresundskraft, uma das principais empresas de energia da Suécia, cada três toneladas de lixo é capaz de produzir a mesma quantidade de eletricidade que uma tonelada de petróleo.

 

"Os resíduos hoje são uma mercadoria diferente do que tem sido. Eles não são apenas lixo, são um negócio", explicou Anna-Carin Gripwell, diretora de comunicação da empresa nacional de gestão de resíduos da Suécia.

14-05-2015