Pirapora discute plano de recursos hídricos do São Francisco



A cidade de Pirapora, no norte de Minas, foi sede (no dia 19/03) da consulta pública dos trabalhos de atualização do plano de recursos hídricos da Bacia do São Francisco. O evento foi realizado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – CBHSF, em parceria com a empresa portuguesa Nemus Consultoria, contando com o apoio da Prefeitura de Pirapora, da Empresa municipal de turismo (EMUTUR) e do Centro de Referência ambiental (CRA).

 

A consulta pública reuniu várias autoridades regionais, ecologistas, prefeitos, conselheiros, presidentes de colônias, representantes de indústrias metalúrgicas e têxteis, além de entidades ligadas a área ambiental, todos recepcionados pelo Eng° Janeir Soares Barbosa (Diretor do Serviço Autônomo de Água e esgoto de Pirapora - SAAE). Robson Rafael Andrade (Presidente do Comitê das bacias hidrográficas do Jequitaí/Pacuí – afluentes do São Francisco) relatou a necessidade de ações urgentes para salvar o rio.

 

“Vamos discutir e melhorar o plano de recursos hídricos, porém, temos que lembrar e reforças as ações efetivas para não deixar o ‘Velho Chico’ morrer. Estamos num período de estiagem muito grande e soluções terão que ser buscadas, o mais rápido possível. A mídia, hoje, destaca cerca de 70% do seu noticiário ao assunto falta de água em São Paulo. Quando a seca ocorria apenas no sertão nordestino estava tudo certo, ninguém destacava tanto. Agora, a falta de água chegou nas regiões tidas como mais ricas. Então, é hora de discutir e solucionar o problema. Antes tarde do que nunca”, frisou Robson Rafael.

 

Hidroeletricidade, navegação e pesca

 

Emiliano Santiago (Coordenador da empresa Nemus) apresentou um retrato do plano para o decênio 2016-2025. Ele ainda salientou que o ciclo de consultas públicas e oficinas setoriais - iniciado no final de 2014 pelo CBHSF - terá duração estimada em 18 meses. Até maio, outros 30 eventos serão realizados em Minas e nos 4 estados nordestinos (Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas), envolvendo representantes das comunidades tradicionais, indústria, mineração, agricultura e saneamento.

 

Em Pirapora, a consulta pública para atualização do plano de recursos hídricos foi direcionada especialmente para 4 setores: hidroeletricidade, navegação, pesca e turismo/lazer. O Secretário executivo do Comitê federal do Rio São Francisco, Maciel Oliveira, ressaltou a importância dos trabalhos: “Esse é o momento de planejar as ações que serão implantadas na bacia, não só pelo comitê, mas também pelos órgãos públicos e pela iniciativa privada. O plano só terá êxito com a participação efetiva da população ribeirinha, apontando quais são os problemas e as medidas que devem ser tomadas pelos órgãos competentes”.

 

Água para o consumo humano

 

Por sua vez, o Eng° Janeir Barbosa (do SAAE) destacou a importância da discussão do plano: “É um instrumento muito importante para melhoria das condições de vida do povo ribeirinho e não podemos aceitar que os recursos hídricos sejam utilizados para geração de energia, seja maior que o consumo humano. Que bom que várias autoridades estão presentes para discutir e melhorar ainda mais o plano de recursos hídricos da nossa bacia hidrográfica e tenhamos bons resultados nessa consulta publica”, finalizou.

 

O Prefeito Léo Silveira parabenizou os membros do comitê e os participantes do encontro, ressaltando a necessidade de ações práticas no Rio São Francisco: “Essa é uma grande oportunidade de discutir e acrescentar novas ações e prioridades para a execução do plano de recursos hídricos (que terá a duração de 10 anos), reforçando providências que beneficiem a revitalização ambiental e as comunidades mais carentes, lembrando que anteriormente tivermos que recorrer à justiça para garantir prioridade no abastecimento humano. Enquanto muitos municípios estão convivendo com racionamentos, Pirapora abastece (sem problemas) a sua população”.

30-03-2015