Consequências da crise hídrica em pauta na próxima quinta



 

 

Discutir com a sociedade a situação atual dos problemas hídricos no município, estado e país, bem como as medidas que estão sendo tomadas pelos órgãos responsáveis. Esses são os principais objetivos da audiência pública que será realizada pela Comissão de Meio Ambiente e Política Urbana na próxima quinta-feira (26/2), às 13h, no Plenário Helvécio Arantes.

 

“Vamos discutir principalmente as consequências do agravamento da crise hídrica no abastecimento de água em Belo Horizonte. Temos mais dados, e queremos deixar clara a real situação, ouvindo os órgãos responsáveis, principalmente a Copasa”, explicou o vereador Tarcísio Caixeta (PT), que solicitou a reunião.

 

No dia 19/2 integrantes da Mesa Diretora e da Comissão fizeram uma visita técnica à Copasa para obter dados sobre o abastecimento. Eles constataram o agravamento da crise hídrica, com possibilidade de racionamento ou sobretaxa se não forem tomadas medidas eficazes. Na reunião, foram apresentados dados e explicações técnicas sobre a redução do nível dos reservatórios que, segundo a presidência da Companhia, resultou principalmente do aumento do consumo e da escassez de chuvas nos últimos três anos.

 

Convidados

 

Foram convidados para a audiência do dia 26 representantes da Copasa; Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad); Secretaria Estadual de Transportes e Obras Públicas (Setop); Instituto Mineiro de Gestão de Águas (IGAM); Curadoria do Meio Ambiente do Ministério Público de Minas Gerais; Secretaria Municipal de Governo; Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda); Associação Ambiental e Cultural Zeladoria do Planeta; Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Estado de Minas Gerais (Sindágua/MG); Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg); e Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL – BH).

26-02-2015