Royalties pelo uso da água custam R$ 181,8 milhões a Furnas

No ano passado, Furnas, a estatal maior geradora de energia do país, pagou um total de R$ 181,8 milhões em Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (Cfurh), os royalties do uso da água para geração de energia em dez usinas hidrelétricas da empresa, sendo quatro em Minas Gerais: Furnas e Marimbondo (MG), Luiz Carlos Barreto de Carvalho (SP/MG), Itumbiara (MG/GO) e Porto Colômbia (MG/SP).


Segundo a companhia, o valor repassado aos Estados, municípios e órgãos da administração direta da União é 11% superior ao montante repassado em 2009. Os Estados beneficiados foram Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Goiás e Mato Grosso, além do Distrito Federal, que, juntos, receberam R$ 72,7 milhões. Soma igual foi distribuída pela empresa entre 139 municípios localizados nestes cinco Estados e na capital federal.


Entre os Estados, Minas Gerais - a maior área de atuação da empresa - liderou o ranking, com repasse de R$ 39,8 milhões, ou 21,9% do total, seguido de Goiás (R$ 21,4 milhões), que teve o maior aumento de arrecadação, 44% em relação a 2009.


Segundo a companhia, entre os municípios mineiros beneficiados, os destaques são os os valores pagos a Sacramento (R$ 4,4 milhões), Frutal (R$ 4,2 milhões) e Tupaciguara (R$ 3,7 milhões).


Do total de recursos pagos à União, os ministérios do Meio Ambiente e de Minas e Energia receberam R$ 4,8 milhões cada. O Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNCT) ficou com R$ 6,5 milhões e a Agência Nacional de Águas (ANA), com R$ 20,2 milhões.


Os royalties sobre o uso da água nas hidrelétricas equivale a 6,75% de toda a energia produzida mensalmente em uma hidrelétrica. A quantia é repartida entre estados e municípios que hospedam reservatórios de hidrelétricas da empresa e entidades da União.