Defesa Civil e Coca-Cola FEMSA entregam equipamentos para garantir acesso a água potável



A Defesa Civil de Minas Gerais realizou, nesta quinta-feira (18/12), na Cidade Administrativa, evento para oficializar a entrega de três caminhões-pipa, 120 cisternas e três caixas d'água aos prefeitos das cidades de Pedras da Maria da Cruz, Virgem da Lapa e Varzelândia. A doação de equipamentos foi viabilizada por meio do investimento de R$ 1,4 milhão da Coca-Cola FEMSA Brasil na ampliação do "Programa Água - Plantas Potabilizadoras". A iniciativa busca beneficiar a população sem acesso a água para o consumo humano com a disponibilização de água potável às comunidades atingidas por catástrofes ambientais e pelos períodos de seca.

 

O investimento da empresa incluiu, também, a doação de duas plantas potabilizadoras móveis e três plantas fixas que transformam água imprópria para consumo em potável, e, ainda, capacitações que foram concedidas à Defesa Civil e aos municípios contemplados pelo programa. A ação, que já atende cerca de 5 mil pessoas por dia, por meio das três máquinas potabilizadoras fixas instaladas, passará a atender cerca de 20 mil do Norte de Minas.

 

De acordo com o chefe do Gabinete Militar do Governador e Coordenador Estadual de Defesa, coronel Alex de Melo, esta iniciativa é uma forma de amenizar o sofrimento das famílias e oferecer o básico - água tratada. Muitas dessas famílias, lembrou o coronel, "em locais que são fruto da construção historicamente desordenada dos municípios, onde faltava o básico. Com esta maquina, a população, principalmente crianças e idosos, não deverão mais sofrer com problemas gastrointestinais. As crianças terão, inclusive, um desenvolvimento físico e neurológico melhor", ressaltou.

 

O vice-presidente Jurídico e de Assuntos Corporativos da Coca-Cola FEMSA Brasil, Eduardo Lacerda, afirmou que "o programa já funciona como um grande auxílio para as comunidades que não têm acesso a esse recurso tão essencial para a vida humana. Agora, com a doação desses novos equipamentos, a água poderá chegar a um número maior de pessoas”.

 

Segundo informações de relatório realizado pela secretaria municipal de Saúde nas comunidades de Lagoinha I e II em Varzelândia, onde foi instalada uma das máquinas potabilizadoras fixas, houve redução de 83% dos casos de patologias causadas pelo consumo de água não-potável. “A iniciativa possibilita uma grande melhoria da qualidade de vida e saúde de pessoas que, por um longo período, foram obrigadas a consumir água imprópria”, declarou Lacerda.

22-12-2014