Cada um pode fazer a sua parte



Nos anos 80 e 90, nós que vivemos na “caixa d’água do Brasil” estávamos acostumados a ver em jornais, revistas e televisão imagens de dar um nó na garganta: aquele chão rachado, plantas mirradas, crianças com um caneco na mão sem ter uma gota de água para beber. Era triste, mas só uma história que alguém contava. Estava longe, no Nordeste. Agora, esse pavor que é não ter água para matar a sede está batendo na nossa porta. Mais de 160 cidades de Minas Gerais estão em estado de emergência por falta de água. Nascentes estão secas, leitos de rio têm só areia, indústrias têm que diminuir a produção. Aulas foram suspensas. Banho virou luxo. A maior cidade do país, São Paulo, onde 60% da população é afetada pela falta de água, segundo o Datafolha, terá que furar poços artesianos para garantir o recurso pelo menos para pacientes de hospitais e crianças em creches.

 

Ricardo Simões, presidente da Copasa – responsável pelo serviço de água e esgoto em mais de 600 cidades mineiras –, já disse a O TEMPO que nós, cidadãos, não precisamos perder o sono pensando nisso, porque não há risco de desabastecimento generalizado. Mas o drama de quem já esta sem água mostra que passou da hora de nós, que ainda temos, fazermos a nossa parte. Reunimos aqui 17 dicas para economizar água no seu dia a dia, compiladas pela jornalista e blogueira Cristina Moreno de Castro com a ajuda de leitores. Experimente pelo menos uma.

28-10-2014