Estiagem faz extração de areia cair 70% no Rio Grande no Sul de Minas



Empresários que retiram areia do Rio Grande, entre Passos (MG) e São João Batista do Glória (MG), têm enfrentado dificuldades por causa do baixo volume de água. Devido à estiagem, as extrações diminuíram cerca de 70%. Os areieiros dizem que estão com dificuldades para movimentar as dragas no leito do rio. Por causa da situação, a carga horária dos funcionários foi reduzida e o estoque de areia diminui a cada dia.

 

"Estou tentando controlar aqui até acabar o meu estoque, porque o freguês a gente não pode deixar até quando tiver. Depois a gente não pode fazer mais nada", diz o empresário Paulo César de Oliveira.

 

Na região onde as empresas fazem a extração de areia, o nível do rio é tão baixo que os barcos não conseguem se distanciar da margem. As embarcações passam a maior parte do tempo encalhadas no meio das pedras. Em algumas empresas, as tubulações tiveram que ser mudadas de local para que a extração de areia continuasse.

 

"Nós fizemos um investimento da ordem de R$ 40, R$ 50 mil em tubos. Tivemos que avançar ai uns 200 metros ao leito do rio porque não há condições de dragagem e navegabilidade", diz o empresário Alan Parreira. A diminuição na extração de areia pode afetar a construção civil, já que o material que está sendo retirado pode não ser suficiente para fazer estoque.

 

"O preço hoje está quase 100% mais caro. Isso pesa no começo da obra. O cliente já reclama logo no começo da obra. É uma coisa que não tem jeito, vai ter que ser repassado para o consumidor final", completa Oliveira.

13-10-2014