0 cidades brasileiras concorrem a “Capital Nacional da Hora do Planeta”



Dez cidades brasileiras. Este é o número de candidatas que concorrem ao posto de Capital Nacional da Hora do Planeta no Desafio das Cidades 2014/2015, uma iniciativa do WWF-Brasil em parceria com o ICLEI – associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável.

 

Passada a primeira fase, as três cidades finalistas concorrerão a Capital Global. Seus representantes inscreveram as ações sustentáveis dos municípios no Registro Climático carbonn, plataforma global gerenciada pelo ICLEI e referendada por especialistas.

 

Os participantes da segunda edição do Desafio são: Belo Horizonte e Betim (MG), Campo Grande (MS), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

 

As cidades deveriam reportar o desenvolvimento de iniciativas urbanas nos setores de energia, transportes, gestão de resíduos e construções para a transição a uma economia de baixo carbono e com 100% de energias renováveis nas próximas décadas. Serão avaliadas as soluções energéticas inovadoras e planos de mitigação das mudanças climáticas.

 

“Esta iniciativa visa reconhecer os esforços das cidades na busca por se tornarem espaços mais verdes, com vidas mais saudáveis e equilibradas com o meio ambiente”, disse o especialista em Políticas Públicas do WWF-Brasil, Michel Santos. O especialista ressalta também que as ações empreendidas pelas cidades podem minimizar o impacto que as mudanças climáticas podem causar no planeta. “As ações e planos concretos de redução das emissões de gases de efeito estufa podem garantir que o planeta sofra o mínimo de impacto, uma vez que, só na América Latina, estima-se que 80% das pessoas vivam nas cidades”, afirmou.

 

Desafio 2014 – Ao todo, 18 países vão participar do Desafio em 2014. Novamente um júri internacional de especialistas com importantes trabalhos sobre clima avaliará a relatoria de ações de cada cidade, e o quanto elas contribuem para levar o ambiente urbano a ser mais limpo e garantir melhor qualidade de vida para a população. Ao final do processo, 18 capitais nacionais da Hora do Planeta serão eleitas e vão concorrer ao posto de Capital Mundial na Cidade do Cabo, África do Sul, detentora do título atualmente.

 

“Ao colocar as cidades como protagonistas na transição rumo ao desenvolvimento resiliente e de baixo carbono, abrimos caminho também para inúmeros co-benefícios relacionados à melhora de serviços públicos, ativação de uma nova economia verde com geração de empregos e qualidade de vida da população. Usar este desafio como uma plataforma para dar visibilidade às cidades nos permite contribuir para que essa agenda avance no Brasil”, completou Jussara Carvalho, secretária executiva do ICLEI para a América do Sul. (Fonte: Ciclo Vivo)

08-10-2014