Plano Nacional de Segurança Hídrica é lançado no país



A Agência Nacional de Águas (ANA) e o Ministério da Integração Nacional apresentaram ontem, em Brasília, o Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH). O objetivo do plano é definir as principais intervenções e estratégicas de recursos hídricos para todo o país, tais como barragens, sistemas adutores, canais e eixos de integração, que são necessárias para garantir a oferta de água para o abastecimento humano e para o uso em todas as atividades produtivas.

 

O plano é resultado de uma parceria entre a ANA, o Ministério da Integração Nacional e o Banco Mundial, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Setor Água. O plano tem até 2020 para identificar as necessidades do setor de recursos hídricos e até 2035 para realizar as intervenções necessárias em barragens, etc. A meta é que as obras identificadas pelo plano sejam realizadas, primordialmente, pelo Ministério da Integração Nacional e seus parceiros nos Estados.

 

O PNSH vai ao encontro dos problemas enfrentados pela região Sudeste nos últimos dias. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, alertou ontem para a baixa reserva de água no país, lembrando a situação vivida pelos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais em relação ao abastecimento do Rio Paraíba do Sul.

 

Ela disse que o país precisa discutir bastante esta questão dos recursos hídricos. “Segurança hídrica é justamente garantir que se oferecerá água em situações de estresse”, reforçou a ministra do Meio Ambiente, após o lançamento do Plano Nacional de Segurança Hídrica (PNSH).

22-08-2014