Sustentabilidade: Água requer cuidados especiais



Sustentabilidade. Essa palavra tem estado cada vez mais presente nas pautas de discussões de empresas, órgãos públicos, organizações não governamentais e até mesmo nas conversas de pessoas comuns. O grande motivo de se investir em ações sustentáveis é que nos últimos anos a sociedade finalmente percebeu que os recursos naturais são esgotáveis.

 

A água, por exemplo, é um dos bens que o Brasil tem com mais fartura. Além da grande oferta hidrográfica do país, levantamento da Agência Nacional de Águas (Ana) mostra que, dos pontos de monitoramento existentes, 70% apresenta boa qualidade.

 

Esse recurso é o tema da primeira matéria da série sobre sustentabilidade que o Hoje em Dia começa a publicar a partir desta quinta-feira (26), mostrando ações que pretendem preservar o meio ambiente.

 

Mas os dados positivos sobre qualidade das bacias hidrográficas não excluem o cuidado necessário com esse recurso. Segundo o integrante da Divisão de Ações Mercadológicas da Copasa, Maurício Castro, o que tem mudado ao longo dos anos é que a qualidade da água pode piorar caso a população não cuide desse recurso. “O esgoto ou empresas que lançam dejetos nos rios podem prejudicar a qualidade da água”, disse. A Copasa realiza, atualmente, o tratamento do esgoto em quase todo o Estado, mas a colaboração de cada um é essencial.

 

Evitar o desperdício também é possível e extremamente importante. Segundo Castro, de 60 a 70% do consumo de água de uma casa está no banheiro, e atitudes simples como desligar o chuveiro enquanto se ensaboa auxiliam na economia de água. Na cozinha, também vale a máxima de enxaguar as vasilhas de uma só vez. Reutilizar a água da máquina de lavar para a limpeza geral da casa e evitar o uso da mangueira para lavar calçadas e carros também são medidas que fazem toda a diferença.

 

“Isso contribui para a economia e para a qualidade de vida. São atitudes responsáveis em relação ao nosso futuro”, destacou Maurício.

 

Sustentáveis

 

As empresas costumam produzir muitos dejetos e, caso eles não sejam tratados da forma correta e o consumo de água seja exagerado, podem ocorrer grandes prejuízos ambientais. Porém, de acordo com o coordenador do curso de engenharia ambiental da Fumec e professor de hidrologia e recursos hídricos, Sérgio Roman, é possível desenvolver os trabalhos sem agredir o meio ambiente. “Atualmente, essa preocupação é algo generalizado, e isso tem feito com que muitas empresas desenvolvam ações que podem ter resultados a médio e longo prazo”, observou.

 

A tônica é muito presente em diversas empresas atualmente. A Cedro Têxtil, por exemplo, reutiliza água em alguns procedimentos e trata os dejetos dentro da fábrica. “Na década de 90, tínhamos uma preocupação muito grande em tratar o esgoto. Então, o foco era muito voltado para o fim do processo, mas, a partir dos anos 2000, percebemos que é melhor trabalhar durante o processo do que no fim dele. O foco saiu de tratar esgoto para gerenciar melhor a gestão de água da empresa”, explicou o gerente de meio ambiente da empresa, Márcio Alvarenga.