Diploma verde para Mineirão e outros cinco estádios



Seis estádios reformados para a Copa do Mundo de 2014, inclusive o Mineirão, receberam nessa terça-feira (17) o certificado internacional de construção sustentável do U.S. Green Building Council (USGBC). O selo Leed, concedido às arenas brasileiras, reconhece a busca por otimizar o uso dos recursos naturais, promover estratégias de regeneração e restauração, maximizar os aspectos positivos e minimizar as consequências ambientais.

 

 

Além do Gigante da Pampulha, também receberam o certificado a Arena Castelão, em Fortaleza, a Arena Fonte Nova, em Salvador, a Arena da Amazônia, em Manaus, a Arena Multiuso, em Salvador, e o Maracanã, no Rio de Janeiro.

 

 

“A certificação é resultado de um trabalho rigoroso ao longo da obra, em que foram aproveitados 90% dos resíduos sólidos, por exemplo, com doação de todas as cadeiras a estádios do Estado, reciclagem do concreto para uso em pavimentação de ruas, além do reservatório de água de chuva”, disse Tiago Lacerda, secretário de Estado de Turismo e Esportes de Minas Gerais.

 

 

Ele lembra ainda o potencial de geração de energia elétrica fotovoltaica do estádio. “Desde o último dia 25 de abril, a Usina Solar Fotovoltaica (USF) do Mineirão está enviando mais de 1 megawatt (MW) de energia no sistema de distribuição da Cemig, o suficiente para abastecer cerca de 1.200 residências. Assim, 10% da energia gerada retorna para ser utilizada dentro do Mineirão”, afirmou.

 

 

A USGB acompanha a reforma do Mineirão desde a fase de projeto e supervisionou todas as etapas antes de habilitar a obra como uma construção sustentável. “À medida que os olhos do mundo caem sobre o Brasil, estes projetos estão demonstrando não só a aplicabilidade e a adaptabilidade do sistema de classificação do Leed Green Building no mundo inteiro, mas também a posição de liderança do Brasil na vanguarda do movimento para green buildings (construções sustentáveis) de alta performance”, disse Rick Fedrizzi, presidente e fundador da USGBC.

 

 

O Brasil tem o quinto maior número de projetos com certificação Leed no mundo, abrangendo cerca de três milhões de metros quadrados brutos de espaço com certificação. Atualmente, equipes do Leed em 150 países e territórios implementam esse conceito de construção, que envolve estruturas capazes de reduzir emissões de gases de efeito estufa, que criem ambientes internos mais saudáveis para os trabalhadores e membros da comunidade.

 

 

No Mineirão, foram implementadas também ações como a preferência por produtos sustentáveis, reaproveitamento da madeira por artesãos mineiros para produção de arte popular e reaproveitamento da água de chuva em um reservatório de aproximadamente 6 milhões de litros – quantidade suficiente, em caso de estiagem de três meses, para descargas dos sanitários, irrigação do gramado e jardins e limpeza das áreas externas.

 

20-6-2014