Captação pode ser retomada em Barbacena, mesmo sem término da limpeza do rio

Quatro dias após a poluição do rio das Mortes, que abastece grande parte da cidade de Barbacena, na região do Campo das Vertentes, por cerca de 40 mil litros de óleo diesel, equipes da Petrobras e da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), que atuam na limpeza do manancial, junto com o Serviço de Água e Saneamento (SAS) - autarquia municipal - estudam a possibilidade de retomar a captação da água acima do ponto de contaminação, segundo a assessoria de imprensa da prefeitura.

 

Essa medida seria paliativa, até que toda limpeza do rio fosse finalizada. Desde a última quinta-feira (11), foram colocadas boias para conter a contaminação. Além disso, duas reuniões diárias são realizadas entre os órgãos que realizam o trabalho no rio para analisar a situação e tomar novas decisões.

 

O prefeito do município, Antônio Andrada (PSDB), chegou a dizer que há uma previsão de que em 72 horas a poluição poderia estar extinta. Contudo, a assessoria do órgão comunicou que essa é apenas uma previsão, mas que pode ser alterada a qualquer momento.

 

Enquanto a limpeza não termina e a captação da água não volta ao normal, caminhões pipa dão assistência, com prioridade para os serviços emergenciais, como escolas, hospitais e presídio.

 

 

Relembre o caso

O óleo diesel foi despejado no rio das Mortes após a ação frustrada de uma quadrilha, que roubou o combustível de um duto da Petrobras que leva o combustível do Rio de Janeiro para Belo Horizonte. A ação aconteceu na madrugada dessa segunda-feira (11), às margens da BR–040, na região rural de Barbacena.

 

 

Na fuga, a carreta bitrem não conseguiu passar por uma estrada de terra, e, aí, o motorista Fábio Mendes de Castro, 38, abriu o registro, liberando o óleo diesel, para aliviar o peso.

 

 

Ele foi preso em flagrante, e os comparsas fugiram de carro.