Em debate, uso racional da água

O Dia Mundial da Água será celebrado esta semana. A data, 22 de março, vem sendo comemorada há duas décadas, mas os desafios para lidar com a escassez da água acontecem num momento em que as fontes limitadas do planeta estão sob constante pressão exercida pelo crescimento populacional. Por isso, em dezembro de 2010 a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou 2013 o Ano Internacional das Nações Unidas da Cooperação pela Água.

 

Com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, a Agência Nacional de Águas (ANA), a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) no Brasil e as secretarias de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e de Cultura do Distrito Federal promovem o seminário Água, Comunicação e Sociedade no Ano Internacional de Cooperação pela Água. O evento será realizado na sexta-feira (22/03) à tarde, no Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, e reunirá especialistas e comunicadores para debater o tema.

 

Gestão de recursos – A meta é divulgar a gestão dos recursos hídricos no Brasil, dar visibilidade a ações de cooperação e mobilização de boa gestão e uso sustentável da água, além de envolver a sociedade nas discussões sobre o crescente desafio para garantir água em quantidade e qualidade para todos.

 

O gerente do Departamento de Recursos Hídricos do Ministério do Meio Ambiente, Franklin de Paula, destaca que o Brasil, como maior potência hídrica do planeta, ainda tem muitos desafios pela frente. “Enquanto mais de 1,2 bilhão de pessoas não tem acesso à quantidade mínima de água estipulada pela Organização das Nações Unidas (ONU), o país detém 12% de toda água doce disponível no mundo. Só na Região Amazônica estão localizados cerca de 70% dessas fontes” afirma.

 

Para o professor Sérgio Koide, do Departamento de Engenharia Ambiental da Universidade de Brasília (UnB), outro desafio é a ampliação do saneamento básico. “Cerca de 50% dos esgotos são despejados em estado bruto nos lagos e rios brasileiros. Medidas simples para economizar água nas atividades cotidianas, como escovar os dentes, tomar banho, lavar louças, entre outras, ainda necessitam de campanhas educativas para conscientizar e mobilizar a população”, destaca.

 

Setor Público – Daniel Sant’Ana, professor de Instalações Prediais da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UnB, com tese de doutorado em Oxford (EUA) sobre o consumo residencial de água no Distrito Federal , acredita em medidas simples para mudar esse cenário. “Os prédios residenciais são exemplos do desperdício de água. A utilização de descargas ultrapassadas e o desconhecimento de métodos simples que poderiam ajudar na reutilização das águas das chuvas para afazeres domésticos, entre outros, também aumentam os custos,” avalia.

 

O seminário é uma oportunidade para repensar essas e outras ações e está aberto a todos os interessados. As inscrições podem ser feitas até o dia 20 de março (quarta-feira) no link http://seminarioagua.ana.gov.br/2013/ . A programação, disponível no site de inscrições, inclui apresentações sobre boas práticas nacionais e internacionais, palestras e atrações culturais. (Fonte: MMA)