Mulheres têm grande participação no Sistema Integrado de Saneamento Rural

O Sistema Integrado de Saneamento Rural (Sisar), como forma de gestão do saneamento rural compartilhada com a comunidade, tem uma participação significativa das mulheres: 40%, o que corresponde a 1.746 pessoas. Essa presença se destaca ainda mais nas associações filiadas, onde há 53% de mulheres membros da diretoria (1.471 são pessoas do sexo feminino).

 

Os números apontam o reconhecimento do valor das mulheres no saneamento rural. Também mostram a atitude positiva do sexo feminino na gestão comunitária. O Sisar é gerenciado no Ceará com a participação da Cagece, sendo decisivo no processo de universalização do abastecimento em meio rural.

 

Entre os presidentes das associações filiadas, 179 são mulheres, ou seja, 27% do total. Vinte e nove mulheres são também conselheiras dos Sisar’s. Até no cargo de operador de sistema, há 17 mulheres trabalhadoras. A função pode ser considerada exaustiva, no sentido em que necessita, por vezes, do uso da força física para realizar tarefas técnicas.

 

Os Sisar’s atendem, atualmente, no Ceará, 690 localidades, com 100.300 ligações de água. Isso corresponde a uma população de 379.134 pessoas com acesso a água tratada em suas torneiras, em zona rural. Para se ter uma ideia da evolução desse acesso, em 2001, o Sisar atendia 9.981 ligações de água, em apenas 66 localidades.

 

Os Sisar’s beneficiam pequenas comunidades e têm por objetivo garantir, em longo prazo, o desenvolvimento e manutenção dos sistemas de água implantados pela Companhia de forma auto-sustentável. Cada um desses Sisar’s constitui uma Organização Não Governamental sem fins lucrativos, formada pelas associações comunitárias que representam as populações atendidas, com a participação e orientação da Cagece.