IMA confirma descarte irregular de embalagens de agrotóxico na barragem da Copasa em Rio Manso

Técnicos da Amda acompanharam, hoje (06), a fiscalização realizada pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) na barragem de abastecimento de água da Copasa, em Rio Manso. Além de muito lixo no local, foram encontradas várias embalagens de agrotóxico vazias descartadas irregularmente, que são fonte de contaminação ambiental e de danos à saúde humana.

A denúncia partiu da entidade ambientalista que, no dia cinco de fevereiro, solicitou vistoria. "De acordo com os representantes do IMA, a Copasa será oficiada a retirar as embalagens em sua área e entregá-las nos postos de recebimento de recipientes de agrotóxicos", informou Fabrício Gato, funcionário da Amda que acompanhou a ação. O recolhimento, que tem prazo estipulado, será acompanhado pelo Instituto e, caso a Companhia de Abastecimento não o cumpra, será autuada.

A degradação do local é ainda mais grave por se tratar de uma barragem de abastecimento de água de quase 28,3% da população da Grande BH (1,7 milhão de pessoas). Em visitas anteriores, técnicos da entidade já haviam observado grande quantidade de lixo em suas margens, animais mortos, desleixo na vigilância e manutenção por parte da Copasa, presença de cavalos e gado na área de propriedade da mesma e cercas estragadas.

O entorno do Sistema da empresa é protegido por uma reserva ambiental de 9.000 hectares, que abriga uma rica biodiversidade, inclusive algumas espécies ameaçadas de extinção. Contudo, a área está sendo ameaçada pelo desmatamento, ocupação urbana e, segundo o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paraopeba (CBH), pela atividade minerária na Serra do Itatiaiuçu.