Desassoreamento da Lagoa da Pampulha deve começar em até 120 dias

O processo de desassoreamento da Lagoa da Pampulha, principal espelho d'água de Belo Horizonte, deve começar dentro de 90 a 120 dias, de acordo com edital para licitação de obras publicado no Diário Oficial do Município (DOM) ontem (28/02). Orçada em R$ 110 milhões, a intervenção faz parte do programa para recuperação da Lagoa, degradada também pela poluição. A previsão é retirar 800 mil metros cúbicos de sedimentos do espelho d'água, principalmente no entorno da Ilha dos Amores.

Segundo o coordenador executivo do Programa Drenurbs, da Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), Ricardo Aroeira, o sistema usado será uma dragagem de longa distância. Conforme ele explicou, uma draga ficará sobre a água com uma bomba para retirar a lama do leito. Por uma tubulação flexível, o material será desidratado para retirada da água e, depois, enviado para o local de descarte. "Será um processo de menor impacto ambiental, sem ruído. Trabalharemos com profundidade da lagoa entre 1,5 metros e dois metros, acabando com as ilhas de terra e devolvendo o espelho d'água em alguns pontos", disse o coordenador.

 Aroeira ponderou que, ainda este ano, outro edital será publicado para contratar uma empresa para os serviços de despoluição e tratamento da água da lagoa. "Ainda não temos a data desse edital, mas ele é a terceira etapa das obras para entregarmos a lagoa limpa até meados de 2014. Ainda aguardamos também o dinheiro de empréstimo para essas obras", disse.

As intervenções de captação de esgoto e limpeza dos córregos que deságuam na Lagoa, consideradas medidas mais urgentes, estão sendo feitas pela Copasa, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e devem terminar no fim do ano.