Bolsa Reciclagem gera renda extra para os catadores mineiros

Organizações de catadores de materiais recicláveis se reuniram nesta terça-feira (26) para entender como será conduzido o segundo repasse do Bolsa Reciclagem. O repasse, relativo ao último trimestre de 2012, contempla 58 organizações e 1.134 catadores, com investimento de R$ 1,5 milhão. De outubro a dezembro do ano passado, os beneficiados comercializaram 7,5 mil toneladas de recicláveis, movimentando cerca de R$ 2,7 milhões na economia mineira.

 

Durante o evento promovido pelo Centro Mineiro de Referência em Resíduos (CMRR) e Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), foram feitas orientações para procedimentos de prestação de conta, esclarecimento de dúvidas e avaliação, junto aos técnicos do CMRR e da Feam, dos resultados da primeira etapa do programa.

 

“Seguir rigorosamente esses procedimentos é garantir a fluidez do Bolsa Reciclagem e demonstrar o quanto os catadores estão organizados como empreendimentos sérios e sustentáveis”, afirma o diretor do CMRR, José Aparecido Gonçalves.

 

“O empenho dos trabalhadores aumentou bastante com o Bolsa Reciclagem. A energia e até o clima na cooperativa foram afetados positivamente. Saber que o trabalho é reconhecido fez muito bem aos catadores, que aumentaram o ritmo de produção”, comemora o presidente da Cooperativa de Coleta Seletiva Ação Reciclar, de Poços de Caldas, Roberto Prudêncio.

 

Catadora há mais de 10 anos em Unaí, Maria do Carmo, da Associação Recicla Unaí, diz que o incentivo veio em boa hora. “Sobrevivo exclusivamente da catação e esse dinheiro faz muita diferença. Estou usando a renda extra para reformar minha casa. É gratificante conquistar as coisas por meio de esforço e trabalho honesto”, afirma.