Copasa realiza obras de saneamento básico na cidade de Ibirité

Já estão em andamento na cidade de Ibirité as obras de implantação do sistema de esgotamento sanitário que vão dotar a sede do município com a mais moderna Estação de Tratamento de Esgoto – ETE, da America Latina. As obras envolvem recursos de R$ 140 milhões que estão sendo aplicados também na implantação de 65 quilômetros de redes interceptoras e na construção de seis estações elevatórias. Com isso, a Copasa espera que 100% do esgoto da cidade seja devidamente coletado e tratado.

 

A ETE Ibirité será construída em duas etapas. Com a conclusão da primeira das obras, prevista para 2015, a unidade terá capacidade para tratar até 140 litros de esgoto por segundo, beneficiando os atuais 160 mil habitantes da cidade. Já com a conclusão da segunda etapa, prevista para 2016, a unidade terá capacidade instalada para atender mais de 210 mil pessoas.

 

Novas tecnologias

 

A ETE contará com uma inovação: o tratamento terciário que será responsável pela significativa redução do fósforo e do nitrogênio contidos no esgoto, possibilitando que o efluente seja devolvido à natureza fique mais límpido e livre dos elementos causadores da eutrofização da Lagoa de Ibirité.

 

Outro grande benefício proporcionado com tratamento terciário será a desinfecção do esgoto, por meio do sistema ultravioleta, que permite a redução de organismos patogênicos presentes no efluente. Essa etapa configura-se como a prática mais segura para o controle de agentes transmissores de doenças infecciosas, além de ser precedida por uma filtração terciária, que irá garantir a eficiência desta desinfecção.

 

Já o lodo gerado no processo também receberá um tratamento diferenciado. Ele passará pelas etapas de digestão, adensamento e secagem, com o objetivo de remover matéria orgânica e reduzir o volume. Após ser adensado, digerido e centrifugado, o material passará por um Secador Térmico, que promoverá uma redução significativa do volume e sua completa higienização. Assim, esse subproduto poderá ser utilizado na agricultura, como adubo, ou na indústria, como combustível.

 

Além de dar um destino ambientalmente correto ao lodo, que concentra a maior parte da contaminação contida no esgoto, esse processo também é economicamente viável, devido a sua autossuficiência energética, já que a unidade também contará com uma Central Termoelétrica, onde o biogás, liberado durante o tratamento do esgoto, será transformado em energia elétrica.

 

Programa Paraopeba

 

As obras de implantação do sistema de esgotamento sanitário de Ibirité, primeiro município contemplado pelo Programa Copasa na Bacia do Paraopeba, iniciaram em julho de 2012. O programa desenvolvido com recursos do banco alemão KfW e da Copasa, tem por objetivo contribuir para a revitalização do manancial e para a melhoria da qualidade de vida da população.

 

Com recursos da ordem de R$ 450 milhões, o programa contempla a implantação de sistemas de coleta e tratamento de esgoto de oito municípios da Bacia do Rio Paraopeba: Betim, Conselheiro Lafaiete, Congonhas, Ibirité, Igarapé, Mateus Leme, São Joaquim de Bicas e Mário Campos.

 

O programa prevê ainda, a construção de Unidades de Tratamento de Resíduos - UTR nas Estações de Tratamento de Água - ETAs dos sistemas de Vargem das Flores, em Betim, e Serra Azul, em Juatuba; implantação de sistema de aproveitamento energético de Biogás nas Estações de Tratamento de Esgoto - ETEs Central de Betim e da sede de Ibirité; implantação do Sistema Integrado de Proteção de Mananciais, para o desenvolvimento de mobilização social e ambiental em todos os municípios integrantes do programa.