Copasa discute sobre educação sanitária e ambiental, no norte de Minas

Oficinas ambientais, culturais e cortejos à água foram as formas utilizadas para capacitar e orientar os coordenadores do Programa Chuá e professores das redes escolares municipal, estadual e privada, durante o primeiro encontro do ano, realizado nos dias 7 e 8 de março, em Salinas . O encontro que é realizado a cada seis meses, sendo um no interior do Estado e outro em Belo Horizonte, tem como objetivo buscar a proximidade da Copasa com a população, promover a conscientização da sociedade sobre a necessidade do saneamento, da preservação e o uso racional dos recursos hídricos e evidenciar a importância da participação cidadã na implementação do programa. A Copasa, ciente do seu papel social e como agente de saneamento do Estado, entendeque a mobilização é uma forte aliada da educação sanitária e ambiental. Pensando nisto, a Companhia, em 1986, criou, com o apoio das superintendências Regionais de Ensino, o Programa Chuá.

O programa consiste na promoção de visitas às Estações de Tratamento de Água e de Esgotos da empresa em várias cidades mineiras, em que a empresa oferece material didático para os visitantes, além de disponibilizar no site www.copasa.com.br material para pesquisa escolar e jogos educativos. Os visitantes recebem informações básicas sobre as questões relacionadas com a água, o saneamento, higiene e limpeza, doenças de veiculação hídrica, bacias hidrográficas e outras medidas de sustentabilidade do planeta. Além do Chuá, a Copasa no intuito de aproximar-se ainda mais das comunidades, também participa e incentiva outros projetos ambientais e culturais das cidades que visam à valorização da arte e da cultura local. “E é exatamente nestes encontros que temos a oportunidade de trocar informações e inovações”, informou a gerente da Divisão de Relações Públicas, Sônia Gandra. Ela avaliacomo fundamental esta troca de experiência entre os coordenadores e a comunidade. “É assim que vamos conhecer as peculiaridades regionais e fazer um trabalho de educação focada na realidade local”, finalizou.

A psicóloga da APAE Salinas, Glíssia Mara Mendes Dias, também comentou: “o encontro dos coordenadores aqui na cidade foi um resgate do Programa Chuá”. Para ela é muito importante que todas as escolas conheçam oprograma. “Ele tem uma interdisciplinalidade muito grande porque acrescenta informações fundamentais acerca do assunto, não só para as crianças, mas também para os pais dos alunos, os professores e a sociedade”, concluiu. Palestras - A Copasa também oferece visitas e palestras para qualquer pessoa que estiver interessada em saber como ela cuida da água e do meio ambiente; como é feito o tratamento da água e do esgoto; como ter um consumo consciente; quais são os processos de monitoramento e controle da qualidade da água em seus laboratórios; entre outros. Para participar basta procurar o Copasa da em sua cidade para agendar a visita.