Balanço do PAC 2 mostra contratação elevada em habitação e saneamento

O programa Minha Casa, Minha Vida chegou a 1,46 milhão de contratos com o desempenho de 2011, quando contratou 457 mil moradias. Os números foram divulgados no balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) realizado na manhã desta quarta-feira (7) em Brasília, com a presença do ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro. As obras de saneamento chegaram a R$ 47,1 bilhões contratados, dos R$ 52,6 bilhões selecionados desde 2007.

Considerando todos os eixos de investimento do PAC 2, o primeiro ano foi de alto volume de execução e conclusão de obras. Em recursos, foram R$ 204,4 bilhões executados, o que representa 21% do previsto para o período 2011-2014. O valor total de ações concluídas chegou a R$ 142,8 bilhões. Do total executado, R$ 75,1 bilhões correspondem a financiamento habitacional e R$ 10 bilhões ao Minha Casa, Minha Vida.

 Até final de 2011 foram concluídas 49% do 1,46 milhão de moradias contratas nas duas etapas do Minha Casa, Minha Vida. Na modalidade Urbanização de Assentamentos Precários foram entregues 420 obras em 2011. Há contratos que somam R$ 27,2 bilhões para a este tipo de intervenção, desde 2007.

 Saneamento – Nas áreas correspondentes à Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental, em 2011, mais 58 localidades ganharam sistemas de abastecimento de água, foram construídos 215 sistemas de esgotamento sanitário, 214 áreas urbanas passaram a contar com água encanada e 13 áreas de risco tiveram obras de drenagem. Dos R$ 52,6 bilhões selecionados desde o início do PAC em 2007, há recursos de R$ 11,3 bilhões para água, R$ 20,7 bilhões para esgoto, R$ 9,9 bilhões para drenagem, R$ 8,1 bilhões para saneamento integrado, R$ 440 milhões para resíduos sólidos, R$ 1,5 bilhão para desenvolvimento institucional e R$ 500 milhões para estudos e projetos.

 

Mobilidade urbana – No ano passado, o PAC Mobilidade Grande Cidades selecionou projetos de metrô em Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto Alegre e Fortaleza e do novo sistema de transporte de Recife e região metropolitana, totalizando investimentos de R$ 11 bilhões para melhorar o transporte público nessas capitais.